three
Curitiba: 10 motivos para andar de bike

Cidade tem 127 quilômetros de ciclovias e muitas atrações ao ar livre

Por Maria Cecília Terres Zelazowski, Vanessa Bononi e Vanessa Gavilan Mikos

Andar de bicicleta proporciona inúmeros benefícios, como prevenção de doenças, perda de peso, sensação de bem-estar, lazer e até economia, se for utilizada como meio de transporte. O Portal Comunicare selecionou 10 fatores para estimular você a correr da preguiça e pedalar pelas ruas de Curitiba.

1. Está cada vez mais fácil pedalar no trânsito: A capital paranaense foi eleita a quinta, entre as 10 melhores cidades, para andar de bicicleta no mundo. O plano de ciclovias com medidas a serem implementadas até 2016 foi o responsável por essa colocação, de acordo com a Prefeitura de Curitiba. Hoje, a capital paranaense conta com 127 quilômetros de rede cicloviárias, e os próximos passos são unir oito parques urbanos através de um circuito de 47 quilômetros de ciclovias e construir estacionamentos para bicicletas nos terminais de ônibus.

one

Foto: Vanessa Gavilan Mikos

 

2Você interage com a cidade: Curitiba é conhecida por sua área verde, e você pode visitá-las utilizando sua bike. O Passeio Público, parque mais antigo da cidade, tem uma ciclovia em toda sua volta. Seguindo pela ciclovia sentido Centro Cívico, o próximo destino pode ser o Bosque do Papa, que tem o Memorial da Imigração Polonesa e algumas pequenas trilhas. Outra opção é o Parque São Lourenço, que tem grande área verde e muito espaço para pedalar e curtir a paisagem.  Por fim, o Parque Barigui, um dos mais conhecidos da cidade, com aproximadamente cinco quilômetros de extensão, permite encontrar muitas pessoas caminhando, brincando com animais de estimação e pedalando também, é claro.

two

Foto: Vanessa Gavilan Mikos

 

3. Você colabora com o meio ambiente e populariza Curitiba: Pioneira e exemplar quando o assunto é sustentabilidade e meio ambiente, Curitiba já recebeu inúmeros títulos e é listada como “cidade verde” ao lado de modelos como Copenhagen, Oslo, Amsterdã, Madri e Estocolmo. Considerada uma das dez cidades mais sustentáveis do mundo, possui a melhor qualidade do ar do país, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). São 36 espaços urbanos de preservação, distribuídos entre parques e bosques, o que explica ter sido selecionada como a segunda do ranking mundial de equilíbrio ambiental. Andando de bicicleta, você ajuda a reduzir a poluição e a manter o título de cidade sustentável, além de curtir o ar de melhor qualidade do país.

three

Foto: Vanessa Gavilan Mikos

 

4. As bicicletas têm um mês dedicado a elas ♥: O mês de setembro tornou-se o Mês da Bicicleta não só em Curitiba, mas no Paraná inteiro [Lei nº 316/12]. Para celebrar, desde 2007, acontece o festival Arte Bicicleta e Mobilidade (ArteBiciMob). A proposta é mudar a cultura focada em veículos abastecidos por combustíveis fósseis para uma mobilidade sustentável através da arte e do uso da bicicleta como meio de transporte. Com atividades regulares ao longo de todo o mês, o evento prevê debates, bicicletadas, poesias, festival de cinema, música, exposições de artes visuais, oficinas, aulas para ciclistas iniciantes, oficinas de mecânica e alguns eventos já consolidados como o Desafio Intermodal e a tradicional Marcha das bicicletas. Neste ano, a marcha ocorreu no dia 22 de setembro.

IMG_0064

Crédito: Prefeitura de Curitiba

 

5.  Diversão gratuita garantida aos domingos: A Avenida Cândido de Abreu recebe, aos domingos, o projeto Ciclo Lazer. São dois quilômetros de bloqueio para carros, que começam na Praça Nossa Senhora de Salete e vão até o a Rua São Francisco, das 8h às 16h.  O programa tem dois anos e une recreação para a família a um circuito para ciclistas, que já teve a participação de aproximadamente 100 mil pessoas – uma média de 2 mil participantes por domingo.

IMG_0065

Crédito: Prefeitura de Curitiba

 

6. O exercício pode se tornar ainda mais prazeroso se você for acompanhado: Pedalar em grupo é uma prática muito comum em Curitiba. Para te ajudar  a encontrar sua turma, a Prefeitura de Curitiba no site www.curitiba.pr.gov.br/maisbici, disponibiliza uma lista com informações de todos os grupos de pedaladas da cidade, além de mapas com ciclofaixas e ciclorrotas e simulador de vantagens de mobilidade. Outra opção é o www.pedalcuritiba.com.br, um painel eletrônico com a maioria dos Grupos de Pedais de Curitiba e região metropolitana e suas respectivas agendas, eventos profissionais e conteúdo do meio.

five

Crédito: SouMaisBike

 

7Espaço de apoio: A Bicicletaria Cultural de Curitiba, fundada em 2011, é um espaço de apoio ao ciclista urbano em suas necessidades, prestando serviços e informações. O espaço, que também é a sede da Ciclo Iguaçu, conta com 200 m² e várias salas onde são promovidos eventos e cursos relacionados à arte e cultura, e possui estacionamento para as bikes e oficina mecânica. Uma das fundadoras da bicicletaria, Patrícia Valverde, afirma que o local é um ponto de contaminação de interesses. “A pessoa vem para falar de bicicleta e acaba tendo contato com uma exposição, ou ela vem através de uma agenda cultural e acaba tendo contato com a ciclomobilidade”.
Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro, Curitiba

eight

Foto: Vanessa Bononi

 

8. O Ciclo Iguaçu luta pelos ciclistas:  A Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu, fundada em 2011, visa criar uma interface de diálogo construtivo com o poder público, a fim de consolidar o desenvolvimento de políticas de ciclomobilidade. Levantando questões, necessidades e representando a sociedade, a associação promove ações, projetos e faz a ponte entre o poder público e a comunidade. Algumas ações promovidas pela Ciclo Iguaçu foram: Saia de Bici, De bike ao trabalho e as Vagas Vivas.
Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro, Curitiba

nine

Crédito: Ciclo Iguaçu

 

9. Você pode se engajar em projetos como a Praça Bolso do Ciclista:  A praça foi construída com mão de obra voluntária e foi transformada em um ambiente agradável e bastante frequentado. Os ciclistas da Alto Iguaçu prontificaram-se a projetar e construir a praça com esforços próprios. Também organizaram reuniões e convocaram pessoas interessadas em participar, como arquitetos, paisagistas, artesãos, engenheiros, professores, além de qualquer cidadão interessado em ajudar. “O lugar vivia uma situação de abandono social. Faltava o fator humano ali, que é o que transforma os lugares”, segundo Julian Irusta que foi o embaixador da construção da praça”.
Endereço: Rua São Francisco, 80020-190 – Centro, Curitiba

six

Foto: Vanessa Bononi

 

10 – Nada impede que todos possam pedalar: Organizado pelas secretarias municipais de Trânsito, dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Esporte, Lazer e Juventude e pelo Instituto Pró-Cidadania de Curitiba, o projeto Inclusão + Bici oferta bicicletas de até três lugares para pessoas com deficiência pedalarem pela Avenida Cândido de Abreu, aos domingos. Elas podem fazer passeios com sua família, ou pedalar em companhia de voluntários do projeto.

vish

Crédito: Mais Bici – Prefeitura de Curitiba

Fechado para comentários.