filosofighters
1º Beta Jornalismo recebe Daniel Lazaroni e Otávio Cohen

Infografia digital, jornalismo multimídia e newsgames foram tópicos abordados durante palestra

Giulie Hellen de Oliveira Carvalho e Lana Gillies

O período da manhã do 1º Beta Jornalismo foi encerrado com a presença de Daniel Lazaroni e Otávio Cohen. Ambos de São Paulo e integrantes da Editora Abril abordaram o tema da infografia digital inserida no jornalismo multimídia e também falaram sobre newsgames. Daniel, formado em Design na UNESP de Bauru e pós graduado em games pelo SENAC, desenvolve infográficos digitais e projetos multimídia na internet pelo núcleo jovem da Editora para os sites do Guia do Estudante, Mundo Estranho e Recreio. Otávio, formado em Comunicação social pela UFMG, também desenvolve infográficos e newsgames, foi finalista dos prêmios: Prêmio Abril de Jornalismo, SND (Society For News Design) e SPD.

Foto: Michel de Ancântara A quarta palestra da manhã foi em dupla. Infográfico, games e multimídia foram os assuntos abordados

Foto: Michel de Ancântara
A quarta palestra da manhã foi em dupla. Infográfico, games e multimídia foram os assuntos abordados

 

Para a construção de uma infográfia, é necessário de dois profissionais, um de arte e outro de texto. O foco deve ser no conteúdo, na forma de contar a história e passar a informação, para assim preparar o visual. Existem quatro tipos de infográficos: realista que utiliza proporções reais; raio-x e zoom recursos clássicos para ver o que não conseguimos, e a fotografia, para representações não focando no padrão estético. Porém não é possível estipular um prazo especifico para montagem. “Quando a gente já tem um template mais ou menos feito, a gente consegue fazer de uma maneira um pouco mais rápida, em mês ou três semanas. Três semanas ainda é muito, porque a gente não pode deixar de fazer as outras coisas do dia a dia. Então só dedicamos algumas horas do dia”, explica Cohen.  “Tem a diferença entre o impresso e o digital, o digital demanda mais tempo, porque a gente tem no mínimo uma pessoa a mais, que é o programador, que tem o seu tempo para programar o infográfico. Na revista, geralmente mensal, em media temos um mês para fazer um infográfico”, complementa Lazaroni.

Por causa da evolução da informática a tendência é a de Data Visualization, quando a cor, formas, design casam com os dados. Na infografia digital há o envolvimento de mais elementos que a do impresso. Desde interação, motion e hiperlinks até aspectos como o audiovisual, gamificação, métrica e a divulgação realizada nas redes sociais. Na questão da equipe, o número de envolvidos sobe para três, com a participação de um programador que torna viável o funcionamento do infográfico digital em uma plataforma tecnológica.

Para Daniel e o Otávio, o projeto que mais gostaram de realizar foi o “Filosofighters“. “Gosto não só por causa do jogo, que é super divertido, mas por causa dessa construção transmídia”, relata Otávio Cohen. “A gente tem um carinho especial pelos Filosofighters e o Trem de Samba foi um desafio de design e talvez um dos trabalhos mais complexos que tive” comenta Daniel Lazaroni.

Fechado para comentários.