DSC_0089
1º Beta Jornalismo recebe palestrante carioca

Circuito tem 7 palestras com 8 convidados

Beatriz Lima, Camila Costa e Laís Holzmann

Começou nesta manhã (9) o 1º Beta Jornalismo, um circuito de palestras realizado no teatro TUCA, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). A coordenação do curso já vem implantando diversas medidas a fim de aprimorar o curso de jornalismo e de buscar a excelência acadêmica da universidade, levando-a a parâmetros internacionais.

O professor e coordenador do curso, Julius Nunes, enfatiza que o objetivo do evento é trazer palestrantes e temas que ainda não são abordados em sala de aula. “Conseguimos realizar um evento aberto não só para os alunos da PUC mas também para alunos de outras instituições, justamente para fazer com que o conhecimento circule”, afirma.

O primeiro palestrante do dia foi o roteirista carioca Marcelo Andrade, que falou sobre Storytelling e Transmedia, e os desafios de contar histórias na sociedade de convergência.

Storytelling e Transmedia

DSC_0089

A primeira palestra do dia falou sobre Storytelling e Transmedia
Foto: Beatriz Lima

Andrade iniciou sua apresentação explicando o que seria o Storytelling, um discurso com base em uma estrutura narrativa de forma que as ideias pareçam coerentes e articuladas. Segundo o palestrante o melhor jeito de começar uma história é pela emoção. “É preciso envolver o espectador emocionalmente para que ele se interesse pela sua narrativa”, disse. O roteirista ainda questiona sobre a estrutura de uma história e o por que de a contarmos.

O carioca termina sua palestra dizendo como o Storytelling Transmedia é importante para a comunicação. “Não temos escolha, o público já está fazendo. A historia envolve o espectador, permitindo-o escolher como interagir com ela”, finaliza.

O professor do curso de publicidade e propaganda, Felipe Belão,  que assistiu à palestra, acha essencial discutir a comunicação com profissionais da área. “Achei o conteúdo fantástico, é muito importante para que possamos interagir com outras práticas”, termina.

Para a aluna de pós-graduação, Jéssica Caravlho, o assunto abordado por Andrade é relativamente novo e não tem muita discussão na Academia. “ O tema agrega muito à formação aos futuros profissionais”, opina.

As palestras continuam pelo restante da manhã e à tarde. Os espectadores podem interagir enviando perguntas e comentários pelo twitter, inserindo #betajornalismo em seu tweet.

 

Fechado para comentários.