Smart City
Cidades testam tecnologias para se tornar “smart”

Lista de novidades inclui guarda de trânsito autônomo e lâmpadas inteligentes

Por Kevin Cruz

Novas tecnologias que facilitam a construção das cidades do futuro foram apresentadas no congresso Smart City Business America Congress & Expo, que ocorreu durante os dias 28 e 30 de março, em Curitiba.

Apesar de o conceito de Smart City ainda estar em formação e discussão nas universidades internacionais, é possível afirmar que uma cidade tecnológica não é uma cidade inteligente. “A tecnologia é uma ferramenta para construção delas”, explica o secretário municipal de informação e tecnologia de Curitiba, Paulo Roberto Miranda.

Construir as cidades do futuro vai muito além de integrar os sistemas de segurança, iluminação, saneamento e transporte a uma rede. Afinal, quais são as novas tecnologias criadas para as Smart Cities?

Agente autônomo de trânsito

O robô Agent Seebot foi desenvolvido para substituir um agente humano de trânsito nas tarefas básicas. Testado em Maringá, o robô é o único capaz de desempenhar, cumulativamente, funções semafóricas, de sinalização vertical e fiscalização inteligente de trânsito.

Segundo a Seebot Soluções Inteligentes, empresa nacional que desenvolveu o Agent, ele apresenta melhorias de até: 74% na redução de congestionamentos; 49% na fluidez do trânsito; 154% no tempo de espera; e 88% na redução de emissão de poluentes.

Smart City 1

 

Lâmpadas inteligentes

A Lâmpada inteligente, projetada pela GE Lighting, é capaz de monitorar tudo que acontece nas ruas. Com sensores para capitar áudio, movimento, vídeo, vibração, e variações do meio ambiente, a lâmpada permite detectar disparos de armas, acompanhar o tráfego, obter alertas meteorológicos, estipular o nível de poluição, e disponibilizar vagas de estacionamento.

“A solução para o ecossistema, que estamos construindo, de ambientes inteligentes é transformar a iluminação de rua em um cérebro analítico da vida urbana”, diz o gerente geral global de dispositivos inteligentes da GE Lighting.

Smart City 2

 

Sistema de detecção de tiros

O ShotSpotter é o sistema, líder mundial, de monitoramento de disparos e tecnologia de localização, desenvolvido para ser acoplado as lâmpadas inteligentes.

Smart City 3

 

Novo cabo para rede elétrica

Smart City 4

A linha de cabos OPGW, desenvolvidos pela Furukawa, integra a necessidades da transmissão de energia elétrica com a conectividade. O cabo possui um núcleo de fibra óptica envolvido por um tubo de aço inoxidável com fios para alimentação da rede de energia.

 

Smart Grid

Smart grids, ou “redes inteligentes”, são os sistemas de distribuição e de transmissão de energia elétrica que foram dotados de recursos de Tecnologia da Informação (TI) e de elevado grau de automação, de forma a ampliar substancialmente a sua eficiência operacional.

Smart City 5

Empresa possibilita a vivência de uma Smart City

A PromonLogicalis, empresa de serviços e soluções de tecnologia da informação e comunicação, possibilitou aos participantes do evento Smart City a experiência de vivenciar uma cidade inteligente para que possam ver os benefícios da tecnologia nesse universo. O conceito de Cidades Inteligentes torna a gestão pública mais eficiente, possibilitando assim, uma redução de custos.

A demonstração apresentada no estande da empresa integrou sensores que monitoraram os diferentes aspectos da cidade, como o volume de lixo nos bueiros e lixeiras e a qualidade do ar, e avisa a central responsável pelo controle e manutenção da limpeza do município, como a integração de outros sistemas para realização de ações automaticamente.

As melhorias conferidas pela tecnologia se estendem também à iluminação e a segurança públicas. As mudanças beneficiam não só os cidadãos, como também o governo, que passa a oferecer serviços mais eficientes com um custo menor do que o atual. Desta forma, os funcionários serão deslocados para recolher o lixo de determinado local, por exemplo, apenas quando a lixeira estiver cheia e não mais em dias e horários específicos.

Todas as aplicações têm como alicerce a Logicalis IoT Cloud Platform, desenvolvida pela PromonLogicalis com base em padrões abertos com o objetivo de viabilizar projetos de Internet das Coisas, mantendo níveis de investimento acessíveis a diferentes perfis de empresas e órgãos do governo.

“A tecnologia é uma grande aliada dos governos que desejam oferecer um serviço melhor aos cidadãos, porém, é importante atuar de forma unificada. Se cada uma das secretarias desenvolver projetos para uma cidade mais inteligente de maneira isolada, os silos continuarão existindo. Essa integração é fundamental para impulsionar os benefícios da tecnologia a todas as esferas – cidadãos, empresas e governo”, afirma Lucas Pinz, diretor de tecnologia para transformação digital e IoT.

Fechado para comentários.