Beta
Beta Jornalismo realiza sua 2ª edição na PUCPR

O evento reuniu alunos e jornalistas formados no Teatro Universitário da PUCPR, o TUCA

Por Bruna Carvalho e Lucas Aquino

Evento promovido pelo curso de jornalismo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) a fim de discutir tendências do jornalismo e da comunicação, o Beta Jornalismo realizou sua segunda edição no último sábado, 22. Ao todo foram sete palestras ao longo do dia.

A primeira palestra teve início às 9h, após o credenciamento. O jornalista que hoje atua como consultor de empresas e articulista do site da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial), Francisco Viana, falou sobre a ascensão da cidadania e os desafios do novo jornalismo empresarial. Em seguida, Décio Galina, diretor de redação de Audi Magazine e Revista Personnalité, pôs em pauta o jornalismo customizado, abordando o caso da Trip Editora. E, encerrando a manhã, diretamente da Espanha, o jornalista Lucas Duarte, que atua desde 2003 em Barcelona,  falou sobre cobertura esportiva no exterior.

Às 14h a programação retornou com Marina Dias, da agência A Pública, falando sobre jornalismo investigativo. Marina trouxe alguns exemplos do trabalho da agência e explicou a importância do jornalismo independente nesse momento da história. Em seguida, subiu ao palco Patrícia Palumbo, com a palestra Do gravador de rolo ao Vozes em Casa – 30 anos de rádio, ela contou sobre sua história no rádio,  mostrou seu blog e deu dicas aos futuros jornalistas.

A penúltima palestra do evento foi ministrada pela assessora de imprensa do Médicos Sem Fronteiras (MSF),Vânia Alves falou sobre  jornalismo humanitário: coberturas de conflitos armados, desastres naturais e epidemias, abordando o trabalho da Organização, onde trabalha desde 2010.

Encerrando a segunda edição do Beta Jornalismo, Marcelo Canellas,  repórter especial da Globo desde 1990, falou sobre Narrativa e grande reportagem na TV. Canellas exibiu um episódio de uma série sobre a fome no Brasil realizada em 2001 para o Jornal Nacional que foi utilizada na Campanha Eleitoral desse ano e pôs em pauta a ética e a imparcialidade no jornalismo. Segundo Canellas é fundamental ao jornalista ter “humildade intelectual e profundo respeito à dor alheia”.

 

Fechado para comentários.