3. A tatuagem como marketing nas grandes corporações
Nina

Nina se encaixa nas tendências atuais do mercado de empregos
Foto: Mariana Benevides

“Há 5 anos atrás eu podia trabalhar em duas ou três lojas do shopping”, conta Nina Kapschak, atualmente garçonete. Nina fez sua primeira tatuagem aos 15 anos, e conta que já até recebeu preferência em entrevistas de alguns estabelecimentos por ser tatuada. Muitos empregadores estão se direcionando a uma nova tendência do mercado, adotando uma estratégia de contratação de pessoas tatuadas. O objetivo final é repaginar o ambiente de seus estabelecimentos e o público alvo de seus produtos. Com um visual mais moderno, novos estilos de clientes podem ser atraídos, atingindo mais espaço no mercado.

A Chilli Beans, maior rede brasileira de óculos escuros e acessórios, tem em seu próprio dono uma quebra do estereótipo do empresário de sucesso. Troca-se o típico visual sério e engravatado por uma apresentação contemporânea, no sentindo mais moderno da palavra. Caito Maia, dono da Chilli Beans, tem tatuagem. Suas franquias tem seus empregados espelhados na aparência proposta por seu dono, adotando uma política despojada como carro-chefe da empresa.

Gerente da sede da Chilli Beans no centro de Curitiba, Marcel Camelotti, diz que já teve algumas dificuldades no passado em arranjar emprego.  “Eu vejo esse preconceito deles mais como um medo pelo cliente não gostar”, diz, depois de ouvir algumas vezes que não se enquadrava no perfil de empresas por suas tatuagens. “Mas aqui na Chilli Beans você vê que isso não acontece, a gente é super bem recebido. Pessoas de idade ou gente nova, não tem crise nenhuma com essa questão”, conta.

Em empresas que optaram por esse novo estilo, vemos um fenômeno contrário à típica corrente. “Seria estranho ter alguém aqui com uma camisa e uma calça social, não iria encaixar. A gente é quem teria preconceito com ele”, afirma Camelotti.

1. Introdução

2. O tatuado no mercado de trabalho

4. A inserção do tatuado em carreiras tradicionais

5. Conheça a vida de Kevan Gillies, empresário que virou seu próprio chefe e não precisa mais cobrir suas tatuagens

6. O conceito e a escolha pessoal na hora de se tatuar

Fechado para comentários.