Agentes penitenciários estão acampados em frente do Palácio Iguaçu

Eles cobram do Governador Beto Richa melhorias nas condições de trabalho e reajuste salarial

Daniel Malucelli e Daniela Leal

Desde segunda (2) à noite, estão acampados em frente ao Palácio do Iguaçu, em Curitiba, membros do Sindarspen (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná), que reivindicam melhorias nas condições de trabalho. Nesta terça-feira (3), cerca de 400 agentes, de várias cidades do Paraná, cobraram uma posição do governador Beto Richa.

Manifestação reúne agentes de todo o estado Foto: Daniela Leal

Manifestação reúne agentes de todo o estado
Foto: Daniela Leal

Os principais motivos das reclamações dos agentes são as melhorias nas condições de trabalho, o uso do porte de arma e um reajuste salarial de 23%. “Em março quando tiveram os atentados em que três agentes foram assassinados, a comoção era muito grande, e o Governo nos prometeu melhorias. Foram meses de espera e até agora nada”, disse o vice-presidente do Sindarspen, Antony Johnson.

Johnson disse também que o trabalho deles está sobrecarregado. “Hoje, onde trabalham 50 era para trabalharem 100. O agente tem que sair da periferia e  morar no centro, por causa das represálias que sofre. Nós exercemos várias funções, pela falta de agentes, e por isso estamos pedindo o aumento salarial. Estamos em negociação com a nossa secretaria, que é a SEJU (Secretária de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos), mas até agora nada”.

Nesta terça, o Governador Beto Richa não apareceu para conversar com os agentes. Quem foi negociar foi o Secretário Chefe da Casa Civil, Reinhold Stephanes. Segundo os sindicalistas o Secretário disse que não pode fazer nada imediatamente, mas que em 15 dias ele dará uma posição da Casa Civil. “Enquanto isso nós vamos continuar aqui, lutando pelos nossos direitos”, completou Johnson.

Agentes prometem ficar acampados em frente ao Palácio Iguaçu Foto: Daniel Malucell

Agentes prometem ficar acampados em frente ao Palácio Iguaçu
Foto: Daniel Malucell

Amanhã a previsão é de que outros 300 agentes penitenciários estejam novamente acampados. “Além do pessoal de Curitiba, amanhã teremos gente de Cascavel e Foz”, avisou o vice da Sindarspen. Outro agente penitenciário, Valdemir Correia ressaltou que a ideia principal era conversar com o Governador, mas que a Secretária os atendeu rapidamente. “Nós queríamos falar com o Beto Richa, mas o Secretário Reinhold Stephanes falou conosco, vamos aguardar”.

Resposta

Segundo a assessoria da SEJU (Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos) os agentes têm o direito de reivindicar, mas que as condições dos agentes, aqui no Paraná, é uma das melhores do país, com o terceiro maior salário do Brasil, atrás apenas de Tocantins e Rio de Janeiro. Ainda segundo a SEJU, o Paraná conta com 3.639 agentes, para um total de 17.775 presos em 31 penitenciárias no Paraná, e nos últimos dois anos e meio os agentes tiveram um reajuste salarial de 33,3%.

Sobre os pedidos de aumento salarial e porte de arma, a SEJU disse que estas condições só podem ser vistas pelo governo federal. Ao tentar entrar em contato com a assessoria da Casa Civil, ninguém se pronunciou sobre o assunto até o momento.

Fechado para comentários.