Arena passou por várias mudanças, e como resultado final ganhou o elogio de quem foi ao estádio | Foto: Roberto Rohden
Após a Copa do Mundo, Arena da Baixada é aprovada pelo público

Estádio recebeu quatro jogos da fase de grupos no Mundial 2014

Por Pedro Melo

A Arena da Baixada já está novamente sob os cuidados do Atlético-PR e mesmo ficando pronto quase de última hora, o estádio de Curitiba na Copa do Mundo foi aprovado por quem esteve acompanhando os jogos.

A capital paranaense recebeu quatro partidas da primeira fase. O empate de 0 a 0 entre Irã e Nigéria, a vitória de Equador contra Honduras por 2 a 1, o triunfo da Espanha sobre a Austrália por 3 a 0 e o empate de 1 a 1 entre Argélia e Rússia.

O empreendedor Roberto Santiago esteve na Arena da Baixada e acompanhou todos os jogos de Curitiba, afirmando que gostou do que viu no estádio. “Ficou bom, é uma arquitetura simples, mas cumpre bem a sua função. Permite que o torcedor fique confortável, a entrada é fácil, tudo bem sinalizado, tem bastante sinalização e a visão do estádio é boa de todos os lugares que eu fui”.

Arena passou por várias mudanças, e como resultado final ganhou o elogio de quem foi ao estádio | Foto: Roberto Rohden

Arena passou por várias mudanças, e como resultado final ganhou o elogio de quem foi ao estádio | Foto: Roberto Rohden

Já o estudante Luiz Valverde acompanhou dois jogos na Arena, encontrou pequenos problemas, mas no geral também aprovou o estádio. “Em cima ficou ruim para andar, então se quiser sair do lugar e estiver no meio vai ter dificuldade para passar. Mas não tive problemas para entrar e estava bem organizado, pelo menos nos jogos que eu fui”.

O secretário especial para assuntos da Copa, Mario Celso Cunha, acredita que Curitiba teve dificuldades em relação ao término do estádio pelo Atlético não ter utilizado uma construtora para administrar as obra. “As demais sedes tinham construtoras tocando as obras e o Atlético criou a CAP S.A., grupo de conselheiros do clube fazendo as contratações diretas, sem intermediação, consequentemente com um preço mais baixo”.

Além disso, outro problema foi que o clube paranaense teve que arcar com as obras durante três antes porque o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) demorou para liberar a verba. “Em 2010 o BNDES acabou não liberando o recurso, liberou só em 2013 e nesses três anos o Atlético ficou com dinheiro próprio e com isso o caixa estourou. Sem dinheiro, sem caixa, foi obrigado a diminuir o número de operários”, comentou o secretário.

A equipe do PUC Sports entrou em contato com o Atlético-PR para saber a avaliação do dono do estádio sobre a Arena no Mundial, mas a assessoria de imprensa informou que não poderia atender a reportagem.

Como o Atlético-PR está cumprindo punição imposta pelo STJD pela briga de seus torcedores na partida contra o Vasco, em Joinville, o time só voltará a jogar com público em seu estádio no dia 07 de setembro contra o Palmeiras. Até lá serão quatro partidas com os portões fechados.

Fechado para comentários.