Unidade da Vila Nossa Senhora da Luz é uma das 11 existentes em Curitiba 
(Foto: Getúlio Xavier)
Bairro com UPS ainda é o mais violento de Curitiba

Cidade Industrial é o bairro com maior número de homicídios da capital

Pedro Melo

Após a instalação das UPS (Unidade Paraná Seguro), houve uma diminuição nos números de homicídios em algumas regiões de Curitiba e região metropolitana, porém, a Cidade Industrial, que possui UPS, ainda permanece no topo como o mais violento.

De acordo com dados da Secretária de Segurança Pública (SESP-PR), a CIC, que tem cinco postos permanentes da polícia, teve uma redução no número de assassinatos, mas ainda é o bairro com o maior número de homicídios com 24 casos nos três primeiros meses do ano.

Já outros dois bairros que possuem UPS, Tatuquara e Cajuru tiveram um aumento nos números de violência. O primeiro teve um crescimento de 35,7% (de 14 homicídios no primeiro trimestre em 2012 para 19 em 2013) e o segundo de 9% (de 11 em 2012 para 12 em 2013).

Unidade da Vila Nossa Senhora da Luz é uma das 11 existentes em Curitiba  (Foto: Getúlio Xavier)

Unidade da Vila Nossa Senhora da Luz é uma das 11 existentes em Curitiba
(Foto: Getúlio Xavier)

Em contrapartida, bairros que não possuem UPS como Pinheirinho e Boqueirão tiveram uma enorme redução de 82% e 46%, respectivamente. Já no âmbito geral, nos três primeiros meses do ano, Curitiba teve 139 homicídios, uma queda de 22% se comparado com o mesmo período de 2012.

Moradores veem melhora

Para quem mora nos bairros, a presença da UPS vem surtindo efeito e agora eles dizem se sentir mais seguros com os policiais que frequentemente fazem ronda nas ruas e praças.

De acordo com o porteiro Antonio Fragoso, 75 anos, morador da Vila Nossa Senhora da Luz, na Cidade Industrial, a presença da Polícia diminuiu o índice de criminalidade. “Antes da chegada da UPS tinha morte, tiroteio quase todo o dia e pessoas vendendo e usando drogas, mas agora é diferente. Muito difícil ver quando tem um crime. Está mais sossegado”, afirmou.

Já o estudante Fábio Bueno, 20, que mora no bairro Cajuru, também sentiu uma mudança após a entrada da UPS. “Eu vejo várias viaturas passando e os policiais fazendo algumas revistas e isso de certa forma transmite uma tranquilidade só de ver eles”, declarou.

Bueno ainda conta que uma vizinha, já com uma idade elevada, era assaltada pelo menos duas vezes por mês antes da chegada da Polícia e depois nunca mais sofreu um assalto.

Polícia

Em resposta à equipe do Portal Comunicare, a assessoria de imprensa da Polícia Militar declarou que “o efetivo da Polícia Militar precisa ser maior sempre por conta do crescimento populacional. No entanto, como a CIC conta com cerca de 200 mil habitantes, ganhou, no ano passado, um batalhão somente para o bairro, o 23º Batalhão da PM”.

Equipe: Luciano Simão, Pedro Melo, Roberto Rohden e Vithor Marques.

Fechado para comentários.