Cães auxiliam polícia no combate ao crime

As raças Pastor Alemão, Pastor Belga e Rottweiler são as preferidas pela Polícia Militar por conta da força dos animais e porque dão retorno mais rápido aos treinamentos

Por Jhenyffer Borges

Fundado em 1971, o Canil Central da Polícia Militar do Paraná tem como objetivo a formação de uma equipe administrativa para fins de adestramento de cães que auxiliam os policiais nos patrulhamentos de locais movimentados em Curitiba, como praças, estádios, palestras em escolas e eventos públicos.

Por mais que a tecnologia esteja avançada, com equipamentos de última geração, a PM ainda opta por usar os cães para realizar esse patrulhamento, diz o cabo Sandro Maciel, responsável pelo Canil Central, que afirma ser mais impactante para quem vê os cães nas ruas. “O impacto psicológico nas pessoas é até 90% maior do que uma câmera, por exemplo. Não adianta andar com o cão na viatura, não vai surtir efeito, o cão tem que aparecer”, afirma o cabo.

Esse patrulhamento de cães é realizado não somente na capital e região metropolitana, mas também em todo o Paraná. “Com a criação do Canil, toda a doutrina de treinamento dos cães é iniciada aqui. E por se tratar do Canil Central, temos todo o controle de entrada e saída de cada cão, independente da região.”

As raças Pastor Alemão, Pastor Belga e Rottweiler são as preferidas pela PM, não somente pela sua força ou seu porte relata o policial, “pois são cães que dão retorno mais rápido no treinamento, não fica doente fácil e são ágeis por isso tem o porquê da PM escolher essas raças”. Todo esse desenvolvimento do cão para sair do Canil e ir para as ruas varia de um ano e meio a dois anos. E se engana quem pensa que a estatura dos cães é o quesito mais importante para que os mesmos sejam selecionados, pois o canil também dispõe de cães de porte pequeno/médio para especialidades como faro de entorpecentes, explosivos, etc. Um cão sem medo, bom guarda, esse sim é o que conta, esse é o cão bem treinado.

Fechado para comentários.