(Crédito: Orlando Kissner/Fotos Públicas)
Cerca de 40 mil saem às ruas contra Dilma em Curitiba

Curitibanos protestam pedindo a saída da presidente.

Por Fernanda Ehlke

A população voltou às ruas novamente em Curitiba neste domingo (14), após quase um mês das manifestações de 15 de março. Cerca de 40 mil curitibanos, segundo cálculo da Polícia Militar (PM), saíram da tradicional Praça Santos Andrade em direção à Boca Maldita. Os organizadores dizem que foram 70 mil os participantes.

“O objetivo da manifestação é, inicialmente, reivindicar o impeachment da presidente Dilma e denunciar o foro de São Paulo”, destaca Eder Borges, coordenador do Movimento Brasil Livre, que organizou a manifestação na capital junto com o Movimento Vem Pra Rua.

O manifestante Maurício Sens, que participou do ato de 15 de março, afirma que o povo tem que se mobilizar para mudar o país. “A gente não está fazendo nada mais que a nossa obrigação de cidadão em frente à tudo que está acontecendo como a corrupção, roubalheiras e desvios”, afirmou.

Em todo o país, de acordo com a Polícia Militar foram, aproximadamente 700 mil brasileiros – 1,5 milhão para os organizadores – em mais de 200 cidades do Brasil. Foram registrados protestos em outros países como a Alemanha e a Irlanda.

A única ocorrência segundo a Polícia Militar foi a confusão com o vereador Professor Galdino (PSDB), ele levou um chute de um manifestante durante o protesto. O vereador não apontou nenhum agressor, entretanto fez boletim de ocorrência e não quis ser levado ao hospital.

 

Manifestantes a favor de Dilma

Na última terça-feira (7), manifestantes saíram às ruas a favor do governo Dilma Rousseff (PT). Eles defenderam a Petrobras, uma reforma política e os direitos dos trabalhadores e protestaram contra o projeto de lei que autoriza a terceirização. Os atos foram promovidos pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), a UNE e o MST, e contaram com o apoio do PT.

A polícia contabilizou 30 pessoas em Curitiba e os organizadores, 50 pessoas. No Brasil foram aproximadamente 6 mil em estimativa da polícia e 14 mil dos organizadores, em 18 cidades do país.(Crédito: Orlando Kissner/Fotos Públicas) (Crédito: Orlando Kissner/Fotos Públicas)[/caption]

Fechado para comentários.