Curta as férias gastando pouco e se divertindo muito.
Como viajar gastando pouco?

Confira sete dicas para viajar sem fugir do seu orçamento.

Por Bruno Talevi e Gabrielly Zem

O planejamento de uma viagem geralmente começa pelo bolso. Sem dinheiro, sem viagem. Essa ideia já não cabe mais para as inúmeras opções de destinos, transporte e hospedagem que permitem que o viajante curta as férias gastando pouco. Confere na nossa lista as 6 principais dicas para tirar o peso do bolso e colocá-lo nas experiências.

1) Planeje a viagem antecipadamente

O primeiro passo é pensar bem em todos os detalhes da viagem. O primeiro passo é pensar bem em todos os detalhes da viagem.

O economista Daniel Poit explica que o orçamento prévio de uma viagem é essencial. É preciso pesquisar sobre o destino, o transporte e as acomodações muito antes de começar a arrumar as malas. “Fazer o planejamento dos custos e do tempo da viagem, escolher datas com menores demandas e buscar promoções na internet e em outros canais, como agências de turismo diferentes com promoções e pacotes de viagens alternativos é essencial, mas pedir descontos, barganhar, dividir despesas pode contribuir para reduzir os gastos”.

2) Fique de olho nas datas e nas passagens!

Promoções de passagens e a escolha das datas certas também deixam o orçamento mais leve. Promoções de passagens e a escolha das datas certas também deixam o orçamento mais leve.

Para todo tipo de viagem que não se pretende gastar muito, o segredo é fugir dos períodos considerados de alta temporada: qualquer data emendada de feriado ou férias, especialmente nos meses de janeiro, fevereiro, julho e dezembro. Segundo a gerente de uma agência de viagens Sibele Maoski, também é importante ficar de olho no dia da semana, pois viagens que se iniciam de segunda à quarta geralmente saem por um preço melhor. Outra dica é evitar retornos aos domingos e não se preocupar com os melhores horários. O uso de milhas para compra de passagens é uma forma barata de voar. As milhas podem ser adquiridas por meio dos cartões de crédito e permitem até a compra de trechos internacionais sem tirar mais nada do bolso.

3) Cuidado com o peso da mala

Procure deixar sua bagagem o mais leve possível e evite gasto desnecessário. Procure deixar sua bagagem o mais leve possível e evite gasto desnecessário.

Por decisão do governo, em junho deste ano algumas companhias aéreas nacionais passaram a cobrar pela bagagem despachada. O custo varia de R$ 30 a R$ 120 e o peso máximo permitido para a mala é de 23kg. A agente de viagens recomenda a compra da franquia de bagagem junto com a passagem, pois dessa forma é possível pagar esse valor embutido nas parcelas da viagem, diminuindo o peso da taxa no orçamento. É importante levar em consideração que o excesso de bagagem no retorno da viagem pode pesar no orçamento.

A recomendação das empresas aéreas é que a bagagem de mão não passe de 10kg, leve apenas o essencial e que seja importante, de valor e fácil de pegar.

A Azul cobra de R$ 40 (no site) a R$ 60 (no aeroporto) por bagagens de até 23kg, com possibilidade de despacho dentro do pacote. A GOL e LATAM permitem essa mesma flexibilidade, com preços diferentes e mesmo limite de peso.

4) Procure por lugares alternativos 

Procure por lugares fora do comum, além de evitar lotação voce ainda economiza. Procure por lugares fora do comum, além de evitar lotação você ainda economiza.

Outro ponto destacado por Poit é a busca por lugares alternativos. Para ele, países pouco buscados como Tailândia ou Ilhas Salomão podem ser mais baratos para quem quer relaxar ou conhecer mais sobre o mundo. “Esses lugares sempre serão mais baratos – quanto a ser uma boa opção, vai de cada viajante. Há quem prefira praia, há quem prefira campo, aventura, ou apelo cultural”. O destino depende de cada um, mas um bom viajante não recusa uma viagem, seja ela para onde for.

5) Cogite contratar uma agência de viagens

As operadoras de viagens tem acordos específicos com as companhias aéreas e podem lançar promoções exclusivas de passagens e hospedagem. A dica de Sibele é que antes de viajar a pessoa busque por um um agente de viagem e explique qual é a sua intenção. Dessa forma, esse agente pode buscar por promoções e entrar em contato para organizar toda a viagem dentro do orçamento desejado.

6) Economize na hospedagem

São opções viáveis para alojamento os hostels, espécie de hotel compartilhado, e AirBnB, aplicativo de compartilhamento de alojamento, por conta seu preço, mobilidade e experiência menos burocrática. O sucesso destas modalidades mostra que eles vieram pra concorrer com os modelos tradicionais de hospedagem, permitindo opções mais flexíveis de acordo com os objetivos individuais de cada viajante. Os sites de hospedagens que filtram os hotéis mais baratos também são uma boa opção para quem não abre mão do conforto durante a viagem.

7) Turistando

Use a tecnologia a seu favor e fuja dos roteiros tradicionais. Use a tecnologia a seu favor e fuja dos roteiros tradicionais.

Procure por dias livres de museus, visite atrações gratuitas, como parques, e não hesite em perguntar. Converse com locais e pesquise as atrações para ver se vale a pena pagar para ver determinado ponto turístico ou se é só mais um lugar de fazer dinheiro. Para passear por aí gastando pouco e sem se perder, lembre de baixar o aplicativo Moovit e Google Maps, que permitem a busca de transporte público e trajetos de caminhada.

 

Deixe um comentário