Descubra nove lugares para ler em Curitiba

Cidade tem espaço para todos os gostos e idades, de casas de leitura a cafés

Por Maria Cecília Terres Zelazowski; Vanessa Bononi; Vanessa Gavilan Mikos 

Quem mora na capital paranaense certamente conhece muitos dos parques mais charmosos da cidade, mas talvez não saiba que a capital também oferece espaços voltados para quem gosta de leitura. Você pode consultar, emprestar, comprar e até se engajar no universo literário, opções não faltam.

O Portal Comunicare selecionou nove lugares inspiradores para relaxar e fazer uma boa leitura em Curitiba.

1. Bondinho da Leitura

Foto: Vanessa Gavilan Mikos

O Bondinho foi instalado na Rua XV em 27 de outubro de 1973, na sequência dos trabalhos de implantação do calçadão da Rua das Flores, com a função de constituir um elemento de animação do coração da cidade. Depois de passar por obras de revitalização, em 20 de novembro de 2010, transformou-se no Bondinho da Leitura, posto de atendimento para o empréstimo gratuito de livros, que é parte das diversas ações do programa Curitiba Lê, desenvolvido pela Prefeitura e ela Fundação Cultural de Curitiba.

O espaço funciona nos moldes da Estação da Leitura, instalada no Terminal do Pinheirinho. Quem circula pelo calçadão diariamente pode emprestar livros de literatura de forma simples e gratuita, apenas com um documento de identificação e informando o endereço. No acervo, os leitores encontram clássicos da literatura brasileira e universal, e obras atuais de autores brasileiros e estrangeiros. Estão disponíveis mais de 2,5 mil títulos para todas as idades.

Serviço
– Endereço: Rua XV de Novembro, esquina com a Rua Ébano Pereira.
– Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira das 8h30 às 19h30, e aos sábados das 8h30 às 14h30.

2. Casas de Leitura

Casa da Leitura Dario Vellozo Foto: Vanessa Gavilan Mikos


As 13 Casas da Leitura da cidade fazem parte do programa Curitiba Lê, da Fundação Cultural de Curitiba. São espaços públicos de leitura que fazem homenagem à autores, professores e figuras significativas para a arte literária da cidade ou em âmbito nacional, levando seus nomes em cada um dos locais. As Casas se situam em localidades estratégicas, espalhadas por toda a cidade, afim de contribuir com a descentralização do acesso à leitura e cada uma contém suas especifidades.

Seu acervo se diferencia das demais bibliotecas por terem uma preocupação social em mudar o quadro de interesse em leitura da população por meio de ações específicas, além do acervo formado, em sua maior parte, por obras de literatura. O empréstimo de livro é para todos, basta apresentar documento de identificação e informar o endereço.

Para Carmen Lucia Vera, a Casa da Leitura Manoel Carlos Karam, localizada no Parque Barigui, é muito funcional.”Adoro vir ao parque andar de bicicleta. Quando paro para descansar, sempre venho emprestar um livro e uma espreguiçadeira para ler e relaxar. É muito legal porque a cada vinda ao parque é, literalmente, uma história nova”, considera a pedagoga.

Os endereços de cada uma das Casas podem ser encontrados aqui: www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/espacos-culturais/?p=2

3. Tubotecas

As Tubotecas são pequenas bibliotecas que funcionam dentro de Estações Tubo. O usuário do transporte coletivo tem livre acesso aos mais de 136 mil livros que estão espalhados nas 10 Tubotecas da cidade.

Os leitores podem pegar um livro de cada vez, sem custo e sem a necessidade de fazer cadastro e após  a leitura,  pode devolver o exemplar em qualquer Tuboteca.

A auxiliar de cozinha Zenilda Martim conta que a Tuboteca do Pinheirinho auxiliou no desempenho de seu filho na escola. “Meu filho Lucas tem nove anos e sempre gostou de ler. Nem sempre eu tenho condições e tempo para comprar livros para ele, mas com a Tuboteca ficou muito fácil. Já sei os gostos dele e levo para casa, ele lê rapidinho e sempre quer mais”.

As Tubotecas estão nos seguintes locais: Estação Praça Rui Barbosa; Estação Central; Estação Praça Carlos Gomes e Estação Marechal.

4. Faróis do Saber
Os Faróis do Saber são bibliotecas comunitárias existentes em mais de 54  bairros de Curitiba. Os 45 Faróis funcionam em apoio às escolas municipais e como pontos de referência cultural e de lazer para a comunidade. O acervo referencial é de cinco mil livros e alguns incluem acesso gratuito à Internet banda larga.

Para emprestar o livro, é necessário um cadastro em qualquer biblioteca da Prefeitura. Basta apresentar um documento pessoal e um comprovante de endereço. Se o leitor for criança e não tiver o documento de identidade, é preciso mostrar a certidão de nascimento. Para conhecer os títulos que podem ser levados para casa, é possível consultar o acervo online, disponível na internet. O usuário deve entrar no site www.cidadedoconhecimento.org.br e digitar o nome do livro ou do autor, o sistema informa em quais bibliotecas o livro está disponível.

Você pode encontrar a relação de todos os Faróis do Saber de Curitiba aqui: www.frenteampla.com.br/rafaelgreca/blog1/?p=316

5. Gibiteca

Foto: Vanessa Gavilan Mikos

Criada em 1982, a Gibiteca de Curitiba é um centro cultural que reúne ilustradores, designers, artistas plásticos, pesquisadores, professores, estudantes e simples amantes dos quadrinhos. O local dispõe de mais de 25 mil títulos de todos os gêneros de histórias em quadrinhos, para consultas, além de abranger outras iniciativas, entre elas cursos, oficinas de criação, exposições, palestras, lançamentos e encontros de RPG (Role Playing Game). Toda a gama de gibis infantis, heróis, humor, terror, cartuns, fanzines, mangás e exemplares estrangeiros faz do acervo da Gibiteca uma fonte valiosa para pesquisas. Nele estão guardados exemplares do personagem “Gibi”, nome que mais tarde foi apropriado para designar as revistas em quadrinhos. Há também as primeiras edições de “Tico-tico” e “O Globo Juvenil” (os mais antigos são datados de 1942), as primeiras edições nacionais de Batman e Capitão América, da década de 1950, além de uma coleção completa do Pasquim.

Serviço
– Endereço: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Solar do Barão – Centro
– Horário de funcionamento: De terça-feira à sexta-feira  das 9h às 12h e 14h às 18h; Sábado das 14h às 18h
– Contato:  (41) 3321-3250; magarcia@fcc.curitiba.pr.gov.br

6. Bosque do Alemão


Recebendo cerca de 1,5mil pessoas por mês, a A Casa Encantada, é uma das 192 unidades que compõem a Rede Municipal de Bibliotecas Escolares. Mais conhecida como Casa da Bruxa, o ponto cultural está localizado no Bosque do Alemão, e para chegar até lá é preciso percorrer uma trilha por dentro do bosque e acompanhar em totens de madeira a adaptação da historia de João e Maria, dos irmãos Grimm.

A contação de histórias é feita por professoras da rede municipal de ensino com formação em literatura infantil que são caracterizadas como bruxas e fadas, elas fazem uma leitura teatralizada de contos infantis, a conhecida “Hora do Conto”. Além disso, o público pode manusear e ler os livros do acervo composto por aproximadamente três mil livros.

Ana Maria Barcellos, nove anos, diz que se sente em uma história real. “É muito legal ver a bruxa contar as histórias aqui, dentro da floresta. Eu me sinto dentro da história de verdade”.

Serviço
– Endereço: Rua Francisco Schaffer x Rua Nicolo Paganini x Rua Franz Schubert – Boa Vista
Horário de funcionamento: Bosque – diariamente das 8h às 18h; Casa da Bruxa – diariamente das 9h às 17h (Hora do conto – finais de semana às 11h, às 14h e às 16h)

 

7. Biblioteca Pública do Paraná
A Biblioteca Pública do Paraná é uma das maiores bibliotecas públicas do Brasil,  atendendo em média 3 mil usuários por dia e cerca de 2 mil empréstimos diários de livros. Criada em 1857, seu acervo reúne cerca de 630 mil livros, periódicos, fotografias, mapas, cartazes e materiais de multimeios e multimídia.

Os serviços oferecidos pela Biblioteca Pública do Paraná baseiam-se na igualdade de acesso em todas as faixas etárias com produtos adequados às suas necessidades. O empréstimo é gratuito, o único custo é de R$2,50 para confeccionar o carteirinha de usuário.

Serviço
– Endereço: Rua Cândido Lopes, 133 – Centro
– Horário de Funcionamento: Segunda a sexta-feira das 8h30 às 20h; Sábados das 8h30 às 13h.
– Contato: (41) 3221-4900 / 3225-6883; www.bpp.pr.gov.br

 

8. Quintana Café & Restaurante

O Quintana Café & Restaurante une culinária e cultura, a cada dia da semana o almoço é criado com pratos inspirados em culturas gastronômicas do mundo. O cardápio é ecogastronômico cultural, ou seja, utilizam ingredientes naturais com a missão de servir e surpreender.

O diferencial do restaurante é a biblioteca, que possui mais de 2 mil títulos à disposição para leitura no local ou para empréstimo. Também realizam saraus literários e exposições de fotografia, desenho e pinturas e recebem diversos artistas para exposições e mostras, que colorem as paredes do espaço com as mais diversas inspirações. O poeta Mario Quintana inspira a decoração da casa, que tem versos e caricaturas dele espalhados pelo espaço.

Serviço
– Endereço: Avenida Batel, 1440, 80420-090 Curitiba
– Horário de funcionamento: Todos os dias das 11h30 às 16h
– Contato: (41)3078-6044

 

9. Livraria Arte & Letra

Crédito: Facebook Arte & Letra

Localizada no Batel, a Editora e Livraria Arte & Letra surgiu com o objetivo de publicar livros de qualidade que não encontravam espaço no mercado brasileiro. Desde então, se especializou nas áreas de não-ficção, fantasia e literatura, com destaque para o design de seus livros. A livraria aposta nos livros diferentes, mais difíceis de encontrar, e dá destaque a autores locais.

Além do espaço para a leitura, a Arte & Letra tem um café,  com sobremesas, salgados, sanduíches, cafés quentes ou gelados, chás e alguns rótulos de vinho e de cervejas especiais no cardápio, e também dispõe algumas mesinhas do lado de fora onde é permitido ficar com seu cachorro.

Serviço
– Endereço: Alameda Presidente Taunay, 130 – fundos da Casa de Pedra – Batel
– Horário de funcionamento: De segunda à sábado das 10h às 20h
– Contato: (41) 3039-6895; contato@arteeletra.com.br

Fechado para comentários.