Corrente Cultural traz artistas nacionais para Curitiba

Emicida, Pitty e Diogo Nogueira são destaque do evento, neste fim de semana

Por Patrícia Guaselle e Ema Cristina

A nova edição da Corrente Cultural de Curitiba, que acontece entre 3 e 8 de novembro, conta com shows, feiras e apresentações. A Fundação Cultural de Curitiba, em parceria com produtores da cidade, programou shows com atrações nacionais e grupos musicais curitibanos para os dias 7 e 8 de novembro (sábado e domingo), que são o principal momento do festival. Durante a semana, ocorrem apresentações de stand-up comedy, a Feira do Vinil, exposições e mostras de cinema, entre outros eventos.

Confira o mapa com a programação e a localização dos shows do final de semana:

O rapper Emicida e a cantora Pitty são destaque na edição deste ano e se apresentam no dia 8 de novembro. no Palco Boca Maldita. Aa outras atrações nacionais são as bandas Suricato e Far from Alaska, além da cantora Duda Brack, que se apresentam no sábado (7), no Palco Ruínas. O artista Diogo Nogueira é a “atração surpresa” do evento e toca com a Orquestra à Base de Corda de Curitiba no domingo (8), no Palco Boca Maldita.

O rapper Emicida é um dos artistas nacionais do evento e se apresenta no domingo (8) às 11h | Foto: Divulgação

Os artistas curitibanos também estarão presentes com bandas de diversos estilos, como Cirandar, Djoa, Du Gomide, Naked Girls and Aeroplane, Namorada Belga; BraveHeart, Relespública, Orquestra à Base de Sopro, Big Time Orchestr, Sara 572 e Trombone de Frutas.

O estudante Victor Sacchelli, 20 anos, conta que irá assistir às apresentações das bandas Relespública e Suricato e fala sobre a importância do evento. “Acho bacana. É sempre muito bem-vindo esse tipo de evento, de forma gratuita, pois aproxima as pessoas desse conteúdo cultural”. Ele acredita que muita gente não têm acesso à eventos culturais e, por esse motivo, a Corrente Cultural faz diferença.

A analista Emily Skrusinski, 20 anos, foi às edições de 2013 e 2014 e assistiu aos shows do cantor Criolo, da banda Cidade Negra e da cantora Elza Soares. Ela conta que sempre participa do evento, inclusive com os pais, e que neste ano quer assistir aos shows da cantora Pitty, do rapper Emicida, da banda Suricato e ir ao Palco Eletrônico.

Emily considera Curitiba uma cidade turística e acha que o evento é  algo a mais para se fazer na cidade. Contudo, a analista acredita que a organização deveria ser focada nos artistas curitibanos, em vez dos nacionais.

Os shows musicais estão divididos em cinco locais. As principais atrações estarão no Palco Hard Rock Café – Boca Maldita e Mundo Livre FM – Ruínas. Os outros shows ocorrem nos palcos Praça da Espanha, Eletrônico e TUC – Teatro Universitário de Curitiba.

A banda curitibana Trombone de Frutas se apresenta no sábado (7) às 18h | Foto: Divulgação/Wake Up Colab

 

Prefeitura e patrocinadores custeiam evento

As atrações nacionais serão pagas com investimentos dos patrocinadores da Corrente Cultural 2015 como no ano anterior, segundo o Presidente da Fundação Cultural, Marcos Cordiolli. Já a Prefeitura de Curitiba investirá aproximadamente R$ 600 mil entre despesas com os cachês dos músicos da cidade, infraestrutura e comunicação. Na Corrente Cultural de 2014, R$ 500 mil foram gastos entre os cachês de artistas curitibanos e infraestrutura.

De acordo com o superintende da Fundação Cultural de Curitiba, Igor Cordeiro, mesmo com a retração econômica, a Corrente Cultural continua sendo uma iniciativa fundamental para a Prefeitura de Curitiba em relação à cultura da cidade.

Na última edição, em 2014, a Corrente Cultural em Curitiba levou mais de 150 mil pessoas às ruas no sábado, segundo a Fundação Cultural de Curitiba. Os palcos Ruínas, TUC e Tenda Eletrônica permaneceram lotados, dando espaço para 34 bandas e artistas curitibanos, segundo a Prefeitura de Curitiba.

Fechado para comentários.