Cresce número de candidatos mais velhos no Enem

Prova é uma oportunidade de ingresso em universidades

Por Alex Prado, Larissa Santin e Rafaela Cortes

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cuja prova deste ano será realizada neste fim de semana (24 e 25),  registrou um crescimento de 230% na participação de candidatos com mais de 60 anos, entre 2009 até 2014. Os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que organiza o exame.

A procura dos mais velhos se elevou porque o Enem dá acesso ao mundo universitário, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e, em consequência, a melhores colocações no mercado de trabalho.

Foi este motivo pelo qual Maria Elaine Brum Rubim, 58, resolveu fazer a prova, há quatro anos. Por meio do resultado obtido no exame, ela se tornou estudante de arquivologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “Eu brincava com meus filhos dizendo que, mesmo sem estudar há 32 anos, eu passaria na prova do Enem e, com boas notas, entraria na UFSC junto com eles. A Minha família levou a brincadeira a sério e me inscreveu”.

Uma das dificuldades das pessoas que pararam de estudar por um longo período é o medo de não ter o conhecimento necessário para obter boa nota no exame. É o caso de Rosemari Leiria Molena, 44 anos, que se inscreveu no Enem deste ano com o objetivo de concluir os estudos e tentar uma vaga universitária. “Eu sempre tive vontade de terminar, mas, por eu ter começado a trabalhar cedo e por ter casado muito nova, não tive a oportunidade. Também tive três filhas e sempre coloquei elas na frente de tudo”. Diante das dificuldades, ela pensa em desistir do exame, apesar da inscrição já realizada

Fechado para comentários.