Crescimento do Youtube ameaça a produção para TV

Como os avanços tecnológicos têm interferido na maneira de se informar, colocando o YouTube como principal fonte de vídeos online e rivalizando com os meios tradicionais

Por Bruna Toti, Bruno Talevi e Gabrielly Zem

Mais da metade dos brasileiros que têm acesso à internet e TV preferem assistir à vídeos online, segundo pesquisa do Instituto Provokers, feita em parceria com o Google Brasil e o Youtube, divulgada em setembro deste ano. Esse novo canal se torna uma forma viável de obtenção de informação por fontes confiáveis.

Os motivos para a preferência pelo conteúdo são a busca por conteúdos que não estão na televisão, por ter perdido algo que passou na TV e também para aprofundar o assunto que viu na televisão. A plataforma preferida é o YouTube, com 42% dos entrevistados optando por ela.

 

O Youtube é a plataforma preferida dos brasileiros para assistir vídeos.

O Youtube é a plataforma preferida dos brasileiros para assistir vídeos.

O consumo de vídeos online teve crescimento de 90,1% entre 2014 e 2017. O número de horas gastas por semana assistindo vídeos na internet teve um crescimento mais rápido do que o tempo gasto com a televisão.

Pela primeira vez o topo do ranking da pesquisa  “Os Influenciadores – Quem Brilha na Tela dos Brasileiros”, realizada pelo Instituto Provokers, é ocupado por um influenciador digital do YouTube. O primeiro lugar pertence ao piauiense Whindersson Nunes, que tem o canal com o maior número de inscritos do Brasil, com quase 23 milhões de seguidores. Os dez primeiros da lista ainda contam com quatro personalidades do YouTube: Flavia Calina, Julio Cocielo, Felipe Castanhari e Felipe Neto.

Josmar José dos Santos, empreendedor, prefere consumir notícias e informações sobre cultura, história e filosofia, e seu canal favorito é a internet. “Ela possui interatividade e recursos da TV, e a conveniência e praticidade do jornal. Há menos juízo de valor por quem dá a notícia; outro fator importante é a liberdade, a possibilidade de assistir o que eu quero na hora que quero, encaixando nos meus compromissos”. Santos explica que a veracidade de informação é o que coloca em xeque a internet hoje em dia, mas os canais de checagem de fonte são uma opção por informação de qualidade.

toptop

Brasileiros gastam mais de 15 horas por semana, em média, assistindo vídeos online.

A pesquisa Video Viewers 2016, divulgada pelo Google em janeiro deste ano, mostrou que 43% das pessoas usam o YouTube como primeira fonte de informação sobre produtos e que preferem as celebridades da web às da televisão.

Aprenda mais sobre produção de vídeos

A EX-BBB Clara Aguilar criou seu canal em 2015, um ano após sua participação no programa. Seu objetivo era manter uma aproximação com os fãs que ela conquistou enquanto estava na casa, de forma que ela pudesse continuar se expressando de maneira informal e tratando de assuntos de sua preferência.  Dois anos depois da criação do canal ele já conta com 448.873 inscritos. Confira o impacto do sucesso desse canal na vida da Clara e como ela continua mantendo ele:

Ricardo Almeida é responsável por criar conteúdos para YouTube auxiliando pessoas que já possuem um canal ou estão criando um. Ele explica que na hora de produzir vídeos é essencial pensar no influenciador, pontuando seus gostos e seu estilo de vida, dessa forma o youtuber pode ser espontâneo na hora de abordar os temas determinados. Almeida explica que quando o canal já possui um grande público seguidor há várias maneiras de se monetizar, como por exemplo fechar marcas e fazer vendas. Segundo o produtor, ao iniciar um canal não é preciso investir muita verba, mas caso a pessoa decida investir, é importante pensar em qual é o retorno esperado. Confira a entrevista na íntegra:

Deixe um comentário