Curitiba ganha título de capital da cerveja artesanal

Cervejas artesanais trabalham com matérias-primas mais caras

Por Matheus Ledoux

O mercado das cervejas artesanais tem crescido no Brasil e em Curitiba não é diferente. Segundo a associação das microcervejarias do Paraná, PROCERVA, das quarenta microcervejarias do Paraná, dezoito estão na capital paranaense e sete na região metropolitana. Por isso, Curitiba recebeu o titulo de capital da cerveja artesanal.

As cervejas artesanais do Paraná já ganharam vários prêmios. No Concurso Nacional de Cervejas que ocorreu em março, com mais de 800 rótulos participantes, foram premiadas 226 cervejas e destas, quarenta são cervejas paranaenses. Foram oito medalhas de ouro, dezesseis medalhas de prata e dezesseis medalhas de bronze. ‘Sempre que venho para Curitiba, tomo uma cerveja artesanal, acho mais leve’, conta Ângela Fátima Viera, uma degustadora da cerveja.

Para ser considerada uma microcervejaria, a empresa deve produzir de mil até 200 mil litros por mês, acima disso já é considerada cervejaria. De acordo com o Sindicado Nacional da Indústria da Cerveja, Sindicerv, existem 300 microcervejarias no país. O diretor de planejamento e gestão da Fecomércio, Rodrigo Rosalem, fala que o mercado de cerveja artesanal no Brasil, apesar de atrasado se comparado a outros países, está em expansão. “É um mercado em ascensão, no entanto, o investidor corre risco como em outros mercados, cada caso é um caso”, alerta.

Economicamente, as cervejas artesanais sofrem para competir com as cervejas de massa. Apesar de produzir um volume menor, as microcervejarias tem que pagar a mesma carga tributária das cervejarias, cerca de 56% Além do volume menor, as cervejas artesanais trabalham com matérias-primas mais caras, como lúpulo e o malte, que são importadas geralmente dos Estados Unidos.

Mesmo com o preço elevado, as cervejas artesanais estão ganhando mercado, representando uma nova forma de empreendedorismo. Com o crescimento desse mercado surgem novos bares e ser franqueado já é uma opção. Gerente de uma franquia da Bier Roff, Hamilton Rocha, relata que o número de clientes tem aumentado. “Beber pouco, mas com qualidade é o que as pessoas têm procurado”, explica.

Deve-se beber de acordo com o organismo

A doutora e professora de nutricionismo da PUCPR, Flavia Auler, diz que as cervejas artesanais tem um número reduzido de aditivos, contendo mais minerais, potássio, e magnésio. Segundo ela, dependendo do nível, a bebida pode ser ingerida por pessoas celíacas. A doutora afirma que as cervejas artesanais têm mais carboidratos, logo mais calorias e alerta as gestantes para o teor alcoólico das cervejas que passa para o leite.

Notícias relacionadas

Fechado para comentários.