bm_1909_0013
Abertura de sabatinas com candidatos à Prefeitura debate de transporte a defesa de minorias

Ney Leprevost (PSD) e Xênia Mello (PSOl) foram sabatinados na noite de segunda

Texto: Ingridy Moreira e Patricia Munhoz / Foto: Beatriz Mira

A semana de sabatinas da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e do Portal Bem Paraná com os candidatos à Prefeitura de Curitiba começou nesta segunda-feira (19), com o candidato Ney Leprevost (PSD) e a candidata Xênia Mello (PSOL). Como mediadores,  estiveram presentes o professor  Zanei Barcellos (PUCPR), o jornalista  Ivan Santos (Bem Paraná) e a estudante de jornalismo Mariana Balan, da PUCPR.

Reveja a sabatina com Ney Leprevost
Reveja a sabatina com Xênia Mello
Reveja a sabatina com Gustavo Fruet
Reveja a sabatina com Afonso Rangel
Reveja a sabatina com Requião Filho
Reveja a sabatina com Tadeu Veneri
Reveja a sabatina com Rafael Greca
Reveja a sabatina com Ademar Pereira
Candidatos de esquerda falam sobre propostas em sabatina da PUCPR
Candidatos apresentam propostas e criticam adversários em nova rodada de sabatina
– Veja fotos das sabatinas

Leprevost apontou alguns problemas gerais de Curitiba, como gestão inteligente com serviços públicos mais eficientes, dinheiro mal investido e falta de integração entre as secretárias das prefeituras.

Em relação ao transporte público, o candidato afirmou que é possível diminuir a tarifa em até 15 centavos, já que “4% da tarifa fica para a Urbs para auxiliar na administração”, diz. Segundo ele, a Urbs pode ser autossustentável e, dessa forma, não utilizar os 4% da tarifa.

Ainda sobre transporte, Leprevost propôs uma legislação para a regulamentação do aplicativo Uber, já que, para ele, essa nova onda é um fato que não pode ser ignorado. O candidato também defendeu o aumento da frota de táxis na capital paranaense.

A plateia levantou questões sobre legalização das drogas e aumento de moradores de rua. Para a primeira pergunta, o candidato se posiciona contra a legalização e, ainda, diz que isso é um problema social e de saúde pública.

Sobre o segundo ponto, acredita na necessidade de haver casas de recuperação com inclusão social e de saúde para tratamento, comparando moradores de rua a usuários de drogas. “Essas pessoas estão desassistidas pela a atual gestão”, criticou.

Sabatina com Xênia Mello 

Na sabatina de Xênia Mello (PSOl), o assunto que reinou foi a defesa de minorias, como negros, mulheres e comunidade LGBTS. 

Para combater o preconceito, ela acredita que são necessárias três ações: meios de comunicação da Prefeitura falando sobre essas minorias; mais cargos ocupados por esses públicos; e calendário que respeite as comemorações e festas da periferia. Além disso, afirma que é preciso que a Guarda Municipal tenha um programa mais humanizado.

Já no inicio, ao ser abordada por um dos mediadores, a candidata disse que “deve-se ter o cuidado com o elitismo e a forma acadêmica de se comunicar”. Ela acrescentou que acredita que todos devem entender o que os candidatos estão propondo em suas campanhas e, para isso, é necessário falar de forma mais informal.

Xênia afirma que todos os candidatos devem ter noção de que a política pública deve ser pensada em longo prazo, não apenas para os quatro anos da gestão do eleito. Como exemplo, a candidata diz que a cidade de Curitiba foi planejada a longo prazo para automóvel. 

Entretanto, ela defende que, agora, o município deve ser planejado para o transporte público. Ou seja: ela vê necessidade de investir no transporte público e defende o transporte público gratuito, além da implantação do bilhete único, pois este facilitaria a vida dos curitibanos.

Em relação à situação dos moradores de rua, a candidata do PSOl afirma que “a solução não deve ser autoritária ou paternalista”; ou seja, deve-se respeitar esse movimento que é organizado. Ela disse que cresceu o número de moradores de rua e, segundo ela, são pessoas que moram nas metrópoles e não possuem condições financeiras de voltar para casa. A solução seria a diminuição nas tarifas de transporte público e a implementação do “Aluguel social”- no caso, a Prefeitura daria subsídios a pessoas necessitadas.

Além da participação do público presente, os candidatos receberam perguntas de internautas por meio das redes sociais do Portal Comunicare e WhatsApp. Esse modelo seguirá durante toda a semana de sabatinas com os demais candidatos.

Fechado para comentários.