img_6351
Candidatos apresentam propostas e criticam adversários em nova rodada de sabatina

Gustavo Fruet focou em transporte público e Afonso Rangel falou sobre inovação

Por Patricia Munhoz | Fotos:

A segunda noite na Sabatina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e do Portal Bem Paraná começou com o atual prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT); e seguiu com o candidato Afonso Rangel (PRP). Como mediador, esteve o professor da PUCPR Miguel Manassés. Também participaram das sabatinas a jornalista Josianne Ritz (Bem Paraná)  e a estudante de jornalismo Vanessa Gavilan, da PUCPR.

Reveja a sabatina com Ney Leprevost
Reveja a sabatina com Xênia Mello
Reveja a sabatina com Gustavo Fruet
Reveja a sabatina com Afonso Rangel
Veja fotos do segundo dia da sabatinas da PUCPR e do Portal Bem Paraná
Abertura de sabatinas debate de transporte a defesa de minorias

Gustavo Fruet falou sobre os principais projetos para uma nova gestão, como a melhoria na infraestrutura do transporte público, conclusão de obras e a criação de um novo plano diretor para os próximos 30 anos. Em relação ao que já fez nesta gestão, Fruet citou vias e pontes de acesso, como Avenida das Torres e Linha Verde.

Ele afirmou que se deve melhorar a integração que já existe no setor do transporte.  “A prefeitura está mantendo essa integração sem subsídio do Estado”. No entanto, ele disse que é difícil prever uma redução nessa tarifa, por causa da folha de pagamento dos funcionários.

A plateia questionou o prefeito sobre o que não funcionou em sua atual gestão, ao que ele respondeu que “não teve escândalos na atual prefeitura”. Entretanto, consta que Produto Interno Bruto (PIB) do município foi negativo.

Em relação à educação, Fruet disse que o orçamento de investimento chegou a 30% e que foram entregues 15 Centros Municipais de Ensino Infantil (Cmeis). Os novos projetos são o plano para professores do Ensino Infantil, novo plano de salários e mais nove Cmeis para 2017.

Ele enfatizou a questão da inclusão, que deve ser priorizada na possível nova gestão. Também falou em diminuir o índice de pobreza.  Sobre a saúde, Fruet destacou o que já foi feito, como a abertura do Laboratório Municipal.

Sobre a situação dos haitianos, Fruet  contou que hoje já há 122 crianças haitianas inseridas na rede pública, usufruindo de serviços de saúde, cursos de alfabetização e cursos de qualificação.

O prefeito relatou que o governo do Estado deve R$ 25 milhões e afirmou que “Curitiba está financiando a crise do Estado”. Ele disse, em relação aos gastos da prefeitura, que sua gestão foi a que menos gastou com propagandas eleitorais: “A prefeitura economizou R$ 80 milhões”.

Prefeito critica Rafael Greca

Gustavo Fruet foi questionado, pela plateia, sobre os ataques do candidato Rafael Greca (PMN). Ele afirmou que “Greca é um mentiroso, começando quando diz que é urbanista”.

O prefeito falou que, em todas as vezes que questionava o candidato sobre projetos feitos no passado, Rafael Greca  não conseguia responder. Por exemplo, disse Fruet, sobre o que foi feito por Greca enquanto estava no Senado.

Outro fato abordado pelo prefeito foi de que o candidato Greca promete em suas campanhas projetos que já existem, como a Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab).

No entanto, o prefeito foi questionado sobre sua postura agressiva em relação a Greca, ao que afirmou que “eleição é isso”, dizendo que se deve dar visibilidade ao que foi feito, falar do futuro e fazer comparações.

Afonso Rangel destaca inovação e tecnologia

O candidato Afonso Rangel (PRP) falou dos principais projetos de sua campanha, como secretarias reduzidas e obtenção de receitas externas. “Fui escolhido para esse cargo, porque me financio”, disse.

Rangel falou bastante sobre avanços tecnológicos para melhorias no município de Curitiba. Segundo ele, são necessárias inclusão digital e implantação de banda larga em toda a cidade.

Outro ponto importante para o candidato é trazer o esporte, cultura e lazer para as escolas – ou seja, focar na juventude.  Ele enfatizou que é preciso favorecer o incentivo a artistas locais e dar mais publicidade a eventos culturais.

Ele defendeu que as praças públicas devem ser usadas para eventos culturais, principalmente para atividades voltadas a idosos.

Em relação a cargos comissionados, ele disse que pretende retirar esses cargos e substitui-los por gestores. Propôs, ainda, trazer representantes do grupo LGBT para auxiliar na administração.

Para a saúde pública de Curitiba, Rangel contou que a proposta é inserir 10 centros de especialização, uma em cada região da cidade. Também falou, em relação à saúde e à educação, acabar com a merenda industrializada e incentivar a produção alimentícia no próprio local, sem agrotóxicos.

O candidato revelou que não concorda com as ciclofaixas e defende o monotrilho, ou seja, um VLT, que é um trilho que corta a cidade para passar um trem de locomoção.

Sobre a situação dos moradores de rua, ele disse acreditar que o atendimento a essas pessoas deve ser humanizado e acrescentou que, “se pudesse, levava todos para casa”. Segundo Rangel, os feudos familiares devem ser rompidos.

Fechado para comentários.