M
Em entrevista ao PUC Sports, o apresentador Mauro Mueller fez críticas à Copa do Mundo em Curitiba

O comunicador também contou um pouco sobre o legado social que a Copa deixará em Curitiba

Por Hélcio Weiss e Leonardo Dulcio

Não podemos fugir do assunto do momento, a Copa do Mundo está em foco. Buscando um gancho diferente, a equipe PUC Sports entrevistou o comunicador Mauro Mueller, para saber papel social e da mídia em um evento de tão grande porte.  A entrevista conta com opiniões sobre o preparo de Curitiba e de que maneira podemos levar algo construtivo da copa.

A função da mídia

O comunicador que trabalha na Rede Massa comentou acerca da responsabilidade social dos atletas de futebol (Foto: Roberto Rohden)

O comunicador que trabalha na Rede Massa comentou acerca da responsabilidade social dos atletas de futebol
(Foto: Roberto Rohden)

“Existem dois lados muito grandes da mídia, a grande independência que tenho por fazer parte de um canal de televisão que não tem os direitos de transmissão, então posso ser totalmente imparcial. Quem tem o direito de transmissão, a gente sabe que não pode falar exatamente tudo, tem que vender mais o “peixe” do evento. Logicamente eles vão vender mais o evento do que enche-lo de critica. Acho até uma incoerência eles falarem tão mal do seu próprio projeto.”

Protestos durante o evento

“Agora não adianta você fazer um protesto contra a copa do mundo, apedrejando um ônibus da seleção brasileira, se teu foco é a Dilma, “pega no calo” da Dilma, se o foco é a seleção, vai falar com o Felipão, então cada um em seu ambiente de protesto e tal. Não devemos relacionar nossos sentimentos de forma errada.”

A Copa do Mundo

“Em se tratando de Copa do mundo, acho que é mais positivo do que negativo, negativo fica por conta dos protestos e do uso do dinheiro publico do jeito que sempre fizeram as obras, semana passada estava em outra palestra, e falei o seguinte: O jeito que eles estão construindo estádio agora é exatamente o jeito que construíram estradas a vida inteira. Delegacias, presídios, escolas, hospitais, exatamente do mesmo modo a vida inteira, que bom que agora o povo se tocou com a construção dos Estádios.”

Preparo de Curitiba

“Tão mal como o resto do Brasil, tão desorganizado, tão zoneado, de forma muito ruim, tudo foi deixado de ultima hora. Ficamos sabendo que a Copa viria para cá em 2008, as obras deveriam começar em 2009, e não foi isso, a cidade se preparou muito mal, como em todo Brasil.”

O que a copa pode nos acrescentar?

“Devemos seguir exemplos, temos exemplos muito bons por ai, como a UEFA, que faz a Copa da UEFA, que está longe de ser comparada a taça Libertadores da América, a Libertadores é muito mais comparável a uma serie B do campeonato brasileiro, do que uma liga dos campeões da Europa, precisamos pegar os exemplos, aprender com esse povo, para que realmente tenhamos um legado da Copa do Mundo, porque essas obras de mobilidade urbana, são coisas que já deveriam ter sido feitas tendo a copa ou não, mas o resto (Europa e Estados Unidos), a FIFA acaba ensinando para nós a contribuição na responsabilidade social que é um evento como esse.”

Fechado para comentários.