Em jogo de alegria para os argentinos, a grande disputa dos hermanos foi contra os brasileiros

Argentinos ficaram dentro do estádio mais de uma hora após o termino da partida, comemorando o triunfo que os colocou nas semifinais

Renan Araújo

A rivalidade entre Brasil e Argentina é uma das mais tradicionais no futebol. Embora os argentinos levem mais a sério a rivalidade com os ingleses por conta da Guerra das Malvinas, não há como negar que a disputa entre os dois maiores países sulamericanos mexe com os torcedores de uma forma diferente. Desde o primeiro jogo oficial entre eles, em 1914, a rivalidade aumentou com os jogos da Copa Roca e o Campeonato Sul-Americano entre os anos de 30 e 50. Depois vieram os duelos nas Copas do Mundo, em 1974, 1978, 1982 e 1990 (em que os Hermanos eliminaram os brasileiros) e vários outros jogos que marcaram época e definiram campeonatos. A rivalidade, que sempre envolve os dois maiores ídolos dos países, Pelé e Maradona, está sempre presente no futebol e não poderia ser diferente em um jogo da Argentina na Copa do Mundo realizada no Brasil.

Argentinos tomaram conta do estádio Mané Garrincha, em Brasília | Foto: Renan Araújo

Argentinos tomaram conta do estádio Mané Garrincha, em Brasília | Foto: Renan Araújo

A partida entre Argentina e Bélgica, pelas quartas de final em Brasília, era decisiva e contagiava os Hermanos desde a chegada ao estádio Mané Garrincha. Por conta da proximidade com o Brasil os argentinos eram maioria em relação aos belgas. Apesar disso, os europeus contavam com o apoio dos brasileiros na torcida. Usando camisas, pintados no rosto, levando bandeiras e até mesmo usando perucas que lembram o cabelo do jogador Fellaini, os brasileiros manifestavam seu apoio aos belgas e torciam por uma eliminação precoce dos seus maiores rivais.

Mesmo em menor número, torcida belga esteve presente e contou com o apoio dos brasileiros | Foto: Renan Araújo

Mesmo em menor número, torcida belga esteve presente e contou com o apoio dos brasileiros | Foto: Renan Araújo

Já dentro da área do estádio, os Hermanos se juntaram e cantavam alto em apoio à sua seleção. A música provocativa aos brasileiros que lembrava da vitória argentina em 1990 e dizia que “Maradona é maior do que Pelé” levava os brasileiros a improvisarem gritos de torcida para rivalizar com os argentinos. Duas horas antes do jogo, a disputa entre torcedores já era grande e acontecia de forma pacífica. Um belo espetáculo antes mesmo do jogo começar.

Dentro do estádio, com o jogo já rolando a disputa das arquibancadas continuava. Os argentinos faziam a festa com o gol e a vitória parcial, mas com a tensão do jogo, em muitos momentos ficavam calados. A tensão aliada à grande quantidade de bebidas alcoolicas fez com que surgissem alguns princípios de discussão e confusão em vários pontos do Mané Garrincha. Em uma delas, a polícia precisou intervir. Um grande sinal de que o policiamento precisa ser muito reforçado em caso de final entre Brasil e Argentina.

Após o fim do jogo, brasileiros e argentinos se provocavam, mas sem confusões. Alegria dos argentinos que chegaram às semifinais depois de 24 anos e terão outro confronto de grande rivalidade contra a Holanda. A certeza é a de que muitos brasileiros reforçarão a torcida pelos holandeses no jogo em São Paulo. Além do espetáculo entre as torcidas e dos jogos emocionantes, a certeza é a de que a rivalidade entre Brasil e Argentina terá mais um capítulo inédito na sua história e segue mais viva do que nunca.

Fechado para comentários.