Escola de remo de Curitiba prepara atletas para competições

Projeto Águas de Vida conta com mais de 20 atletas paralímpicosPor Rodrigo Dornelles

Parque Náutico do Iguaçu serve de local para treinamentos de remo. Foto: Lara Farias.

Parque Náutico do Iguaçu serve de local para treinamentos de remo. Foto: Lara Farias.

Com a Copa do Mundo e as Olimpíadas dominando o noticiário esportivo no Brasil, é fácil esquecer que o país também sediará as Paraolimpíadas, em 2016. Uma das modalidades dos jogos é o remo, e uma escola de remo de Curitiba prepara atletas para competições e utiliza o esporte para transformar vidas.

Sediada no Parque Náutico do Iguaçu, no Alto Boqueirão, a escola de remo Projeto Águas de Vida conta com mais de 20 atletas paralímpicos e vai além da preparação para as competições. A escola utiliza a modalidade para ajudar e transformar as vidas de pessoas com alguma deficiência motora.

“O nosso foco aqui é no paradesporto, contamos com mais de 20 para-atletas que utilizam o espaço para os treinamentos. Além das competições, tentamos ajudar as pessoas por meio do esporte. Tem o caso de um menino que quando chegou aqui mal conseguia levantar a mão, hoje ele rema 10 quilômetros”, disse Fábio Farias da Silva, instrutor do Projeto Águas de Vida.

Apesar do foco no paradesporto, o projeto também conta com atletas sem deficiência, incluindo remadores importantes e até um tri campeão pan-americano da modalidade. Há também um projeto social envolvendo crianças carentes. “É um projeto com as crianças das favelas aqui perto, Iguape, Pantanal, onde as crianças vem para aprender o esporte e treinar. Ele faz parte de um projeto da Zilda Arns”, contou Farias da Silva.

Fechado para comentários.