510028
Festival de Cinema espera 15 mil pessoas em Curitiba

Evento ganhou, neste ano, duas novas mostras

Por Ariane Ramos

O olhar de Cinema-Festival Internacional de Curitiba chega à quarta edição, entre 10 a 18 de junho, com a expectativa de que o número de frequentadores seja maior que o de 2014, quando 16 mil pessoas assistiram aos filmes. A proposta é trazer um clima de movimento e leveza, com retrospectiva da obra do diretor  francês Jacques Tati, e também com vários clássicos restaurados.

A venda de ingressos começa nesta quarta-feira (3) ,no Shopping Crystal (Espaço Itaú de Cinema) e Shopping Curitiba (Cinesystem). A entrada custa  R$ 6 (inteira) e R$ 3, (meia-entrada).

A organização considera que, após três edições, o festival conquistou identidade e público fiel. O festival contará com duas novas mostras, denominadas Foco, que sugere estudo sobre caminhos futuros; e Olhares Clássicos, que aponta para o passado. Estão mantidas as mostras realizadas no ano passado: Outros Olhares, Novos Olhares, Olhar Retrospectivo, Mirada Paranaense e Mostra Competitiva. Entenda cada uma delas.

– Outros Olhares: consiste em fugir do habitual nos cinema, em que prevalece filmes de risco.

– Novos Olhares: cede lugar para primeiros filmes de longa-metragrem, integrado por 6 títulos de cineasta de vários lugares, e também deixa aberto ao diálogo com seu público.

– Olhar Retrospectivo: dá ênfase em um diretor que tem várias de suas obras em exibidas.

– Miranda Paranaense: constitui em levar informações ao público sobre momento atual, com 2 programas de curta de até 2 longas de realizadores locais.

– Mostra Competitiva: composta por dez longas metragens que, possui forte potencial de comunicação com o público, através de narrativas que de maneira perigosa abordam temas contemporâneos.

– Foco: faz um recorte com a obra de cineastas com até 5 longas-metragens pouco conhecidos ou de uma cinematografia de uma região geográfica específica.

– Olhares Clássicos: traz ao público grandes clássicos e mestres da cinematografia mundial, que tiveram suas obras restauradas.

 

Programação

Filme de Abertura

Rabo de Peixe, de Joaquim Pinto, Nuno Leonel

 

Competitiva

A misteriosa morte, de Pérola, de Guto Parente
A Proletarian Winster´s, de Julian Radlmaier
Angels of Revolution, de Aleksey Fedorchenko
I am the people, de Anna Roussillon
Koza, de Ivan Ostrochovsky
Lucifer, de Gust Van Den Berghe
Mercuriales, de Virgil Vernier
Reality, de Quentin Dupieux
Story of Judas, de Rabah Ameur-Zaïmeche
Violência, de Jorge Forero

 

Competitiva | Curta

A Casa sem Comparação, de Nathália Tereza

A Festa e os Cães, de Leonardo Mouramateus
Bayberries Have Ripened, de Niranjan Raj Bhetwal
Em quanto o Sangue coloria as noite eu olhava as estrelas, de Felipe Poroger
Geronimo, de Frédéric Bayer
Listen, de Hamy Ramezan, Rungano Nyoni
Espaço Protegido, de Zora Rux
Superman is Not, de Jimmy Bemon
With Joy and Merrines, de Jeanne Boukraa

 

Outros Olhares

A Loucura Entre Nós, de Fernanda Vareille
Cloudy Times  de Arami Ullon
Ela Volta na Quinta, de André Novais Oliveira
Favula, de Raúl Perrone
Homeland, de Abbas Fahdel
Homem-Carro, de Raquel Valadares
Mais do que eu possa reconhecer, de Allan Ribeiro
Maldade, de Joshua Gil Delgado
Portait Of The Artist, de Antoine Barraud
Prision System4614, de Jan Soldat
Sete Visitas, de Douglas Duarte
Snakeskin, de Daniel Hui
The Valley, de Ghassan Salhab
These are Rule, de Ognjen Sviličić

 

Outros Olhares | Curta

A invenção da noite, de Tomás von der Osten
Bearde Pascal Flörks
Cat, de Philippe Lasry
Childrens Playground, de Pablo Molina Guerrero
Dorsal de Carlos Segundo, Cristiano Barbosa
Escape from my eyes, de Felipe Bragança
Shelters, de Ivan Salatic
The events  de Tilman Singer  Toré, de Joao Vieira Torres, Tanawi Xucuru Kariri

 

Novos Olhares

 Battles, de Isabelle Tollenaere
Burns the sea, de Nambot Nathalie, Maki Berchache
Fog, de Nicole Vögele
Ming Of harlem, de Phillip Warnell
Nova dubai, de Gustavo Vinagre
Yximalloo, de Tadhg OSullivan, Feargal Ward

 

Exibições Especiais

A vida é estranha, de Mossa Bildner
Jauja, de Lisando Alonso
João Bérnard da Costa— OUTROS AMARÃO AS COISAS QUE EU AMEI, de Manuel Mozos
Kommunustein, de Jean-Marie Straub
La guerre d´algérie”, de Jean-Marie Straub
Storm children BOOK 1, de Lav Diaz

 

Mirada Paranaense

Gastronomia Urbana, de Ricardo Machado
Chinês é tudo igual, de Denise Soares
Dessas coisas que acontecem, de Sueli Araújo
Every time we say goodbye, de Renato Ogata
Geladeira, de Fernando Moreira
I proclaim destruction, de Arthur Tuoto
Não se Vive por nada, de Rafael Bertelli
Paixão Nacional, de Jandir Santin
Palhaços Anônimosde Edu Camargo, Gabriel do Valle
Todo tempo, de Danilo Daher

 

Foco

Anecdote, de Nathan Silver
Exit Helena, de Nathan Silver
Soft In The Head, de Nathan Silver
Stinking Heaven, de Nathan Silver
The Blind, de Nathan Silver
Uncertain, de Nathan Silver

 

Olhar Retrospectivo -Jacques Tati

Longas-metragens

As Aventuras do Sr. Hulot no Tráfego Louco, de Jacques Tati
As Férias do Senhor Hulot, de Jacques Tati
Carrossel de Esperança, de Jacques Tati

Meu Tio, de Jacques Tati
Parada, de Jacques Tati
Playtime-Tempo de Diversão, de Jacques Tati

 

Curtas-metragens

Au Delà de Playtime, de Stéphane Goudet
Cours Du Soir, de Nicolas Ribowsky
Escola de Carteiros, de Jacques Tati
Forza Batia, de Jacques Tati, Sophie Tatischeff
Gai Dimanche, de Jacques Berr
On demand Une Brutede Charles Barrois
Soigne Ton Gauche, de René Clément

 

Olhares Clássicos

Bang Bang, de Andrea Tonacci
Jonnhy Guitar, de Nicholas Ray
Meu amigo Totoro, de Hayao Miyazaki
Sindicato de Ladrões, de Elia Kazan
Stromboli, de Roberto Rosselini
Orfeu, de Jean Cocteau

Mais informações visite o site oficial http://olhardecinema.com.br/

Fechado para comentários.