'Nossa Senhora [da Luz]', da companhia Toda Deseo | Foto: Andreza Coutinho (Toda Deseo)
Festival de Curitiba aposta em espetáculos sobre diversidade sexual

Edição de 2017 do Festival foi pensada com base nas diferenças e de gênero

Por Izabelly Lira

A 25ª edição do Festival de Curitiba traz à tona temáticas voltadas para as minorias por meio de artistas e espetáculos. Entre os temas abordados, está a diversidade sexual e de gênero. Na Mostra Oficial, quatro espetáculos tratam do assunto: Campeonato Interdrag de Gaymada, +Misturado Mart’nália e banda, Nossa Senhora [da Luz], e Involuntários da Pátria.

Curador do Festival de diretor teatral, Márcio Abreu afirma que a ideia de colocar espetáculos voltados para a diversidade sexual e de gênero surgiu por conta do atual tratamento que a comunidade LGBT tem no Brasil. “Nosso país é o que mais mata transexuais com violência. Um festival de teatro não pode existir sem levar isso em conta”.

O Festival de Curitiba e o teatro têm a obrigação de tratar a diversidade sexual e de gênero, segundo a professora de teatro da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Silvia Monteiro, pois espetáculos com artistas transexuais ainda incomodam o público. “É curioso observar como as pessoas se incomodam tanto ainda com as possibilidades sexuais hoje em dia. Essas questões, se não resolvidas, já deveriam estar mais assimiladas”.

A abordagem do tema no Festival de Curitiba é muito gratificante para a comunidade LGBT, afirma o diretor administrativo do Grupo Dignidade, Lucas Dionísio, pois a mostra para além das vítimas de violência, do humor e da vida noturna. A representatividade presente no Festival é importante porque o que muda a sociedade hoje é a educação e a cultura, segundo Dionísio. “Levar esse diálogo e mostrar através da arte que a comunidade LGBT também tem direitos é fundamental para quebra do preconceito”.

 

Abordagem da diversidade é menor no interior

Em 2016, os festivais de teatro de Ponta Grossa (Fentata) e o de Londrina (FILO) apresentaram um número menor de espetáculos voltados para a diversidade sexual de gênero comparado com o Festival de Curitiba nas mostras oficiais. O Festival de Curitiba contou com sete espetáculos, o FILO com três e o Fenata não apresentou nenhum espetáculo com essa temática.

Para Lucas Dionísio, essa diferença se dá porque a arte está mais presente na capital. O diretor administrativo afirma ainda que a arte impacta e sensibiliza as pessoas como nenhum outro meio consegue, por isso o preconceito pode ser maior em cidades menores.

Segundo Silvia Monteiro, o Fenata é o festival mais conservador entre os três e o FILO tende a apresentar mais espetáculos revolucionários.

A lista da programação deste ano dos festivais de Ponta Grossa e de Londrina ainda não foram divulgadas.

 

Toda Deseo estreia no Festival

A companhia mineira Toda Deseo, que se dedica exclusivamente a espetáculos voltados para a temática LGBT, participa do Festival de Curitiba pela primeira vez na edição deste ano. Criada em 2013, fruto do trabalho de conclusão de curso da faculdade de Rafael Lucas, um dos atores do coletivo, a Toda Deseo apresenta no Festival de 2017 dois espetáculos: o ‘Nossa Senhora [da Luz]’ e o ‘Campeonato Interdrag de Gaymada’.

‘Campeonato Interdrag de Gaymada’ | Foto: Isabella Leite

Um dos fundadores da companhia, David Maurity, afirma que o espetáculo ‘Campeonato Interdrag de Gaymada’ nasceu em um piquenique na praça Floriano Peixoto, em Belo Horizonte. “Entre as conversas que a gente teve, vimos que o esporte não é tão democrático assim. Parece que existem esportes para meninas e para meninos, e aí a gente chegou nessa questão da queimada”.

Na mesma praça, em julho de 2015, aconteceu a primeira “gaymada”. O encontro contou com a presença de pessoas da comunidade LGBT+ e amigos. “O nome tem uma brincadeira linguística que é muito simples. Queimada para gays”, afirma Maurity. Segundo o fundador, a Gaymada nasceu com o objetivo de ‘desestigmatizar’ o LGBT+ como a figura que só sai à noite, “Queríamos trazer a comunidade para o dia. Isso sempre pautou nossas conversas, porque parece que nossa comunidade não trabalha, não estuda e só sai à noite”.

Serviço: 

Campeonato Interdrag de Gaymada
29/03 – Praça General Osório às 16h
30/03 – Passeio Público às 16h
Entrada franca.
Nossa Senhora [da Luz]
01/04 e 02/04 – Praça Santos Dumont às 20h
Entrada franca.
Involuntários da Pátria
07/04 – Praça General Osório às 17h
08/04 – Praça General Osório às 17h
Entrada franca.
+Misturado
09/04 – Guairão (Auditório Bento Munhoz da Rocha) às 19h
Ingresso: 70 reais.
Os ingressos para o festival podem ser adquiridos por meio do aplicativo Festival de Curitiba 2017, disponíveis para Android e iOS, no quiosque do Festival no ParkShopping Barigui ou no site do festival: www.festivaldecuritiba.com.br

Fechado para comentários.