Furacão vence Santos e alcança a vice-liderança

O time paranaense não repetiu as boas atuações das ultimas partidas, mas foi eficiente nas chances e saiu vitorioso

Roberto Rohden

Na Vila Capanema, em Curitiba, o Atlético-PR recebeu o Santos pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida ocorreu nesta quarta (04), às 19h30. Os donos da casa estavam embalados pela sequência invicta de 10 jogos na competição. Enquanto que os visitantes buscavam a sua segunda vitória seguida fora de casa. A torcida atleticana lotou o estádio e, no final do jogo, pode comemorar a vitória por 2 a 1 que levou o clube para o 2º lugar na tabela.

Torcida lotou o estádio e incentivou constantemente os jogadores, ajudando na conquista dos 3 pontos Foto: Pedro Melo

Torcida lotou o estádio e incentivou constantemente os jogadores, ajudando na conquista dos 3 pontos
Foto: Pedro Melo

O time paulista vinha de uma vitória sobre o Fluminense, por 2 a 0 em pleno Maracanã. Tal fato cogitou certa dúvida nos bastidores do clube, se seria possível para o Furacão exercer o ritmo de jogo que o levou a ascendência no campeonato e a série de 10 partidas sem perder.

Aproveitando as oportunidades

A suspeita foi logo respondida pelo mandante da partida, com apenas 6 minutos de jogo, o atacante Marcelo foi lançado por Paulo Baier. Ele cortou o marcador e chutou, a bola passou por cima das mãos do goleiro Aranha (Santos) e foi parar no fundo do gol, fornecendo mais entusiasmo as pessoas presentes no Durival de Britto.

Apesar de estar em desvantagem, o Peixe mantinha o controle da posse de bola e esboçou o empate algumas vezes nas boas cobranças de escanteio de Leandrinho, mas que esbarravam na boa atuação do goleiro rubro-negro Weverton.

Com 37 minutos, Marco Antônio tomou a liberdade de tranquilizar novamente a torcida atleticana. O jogador assistiu seu companheiro, o zagueiro Luiz Alberto, cabecear e chutar no gol para duas boas defesas do arqueiro santista. Na segunda intervenção, a bola acabou sobrando para o volante do Atlético que pegou um chute de primeira, fazendo 2 a 0 e levando um placar favorável para o intervalo.

Pressão tardia

Já no segundo tempo, o mandante voltou a campo imprimindo uma forte pressão ofensiva, porém, não causou perigo verdadeiro para a defesa adversária. Depois de algumas mudanças, foi perceptível que o time paranaense estava segurando o resultado. Inevitavelmente, os visitantes foram crescendo, mas não impuseram dificuldades para a defesa comandada por Manoel.

Nos minutos finais o Furacão relaxou, com 40 minutos Thiago Ribeiro cabeceou a bola que parou na trave. Dois minutos após o lance, o lateral Emerson foi avançando dentro da área, chutou no canto do gol, a bola raspou a trave e foi entrando mansamente para as redes. O time ainda tentou o empate, mas a zaga se fechou bem e garantiu o resultado.

O Atlético-PR chegou aos 33 pontos, subindo uma colocação na tabela e terminando como vice-líder do Brasileirão. Enquanto que o Santos permaneceu com 22 pontos no 11º lugar.

Fato negativo

Atualmente, a diretoria do Atlético Paranaense vem impondo muitas barreiras contra a imprensa, desta vez, isso aconteceu literalmente. No intervalo e também no final da partida, foi construído um corredor para que os atletas do rubro-negro passassem sem fornecer nenhuma entrevista para as dezenas de repórteres que estavam na beira do campo. O acontecimento gerou insatisfação entre os jornalistas, que combatem a política rígida adotada pelo clube.

A direção do Atlético afirmou que visa o desenvolvimento e valorização do trabalho jornalistico praticado pelos próprios funcionários do clube, afetando, momentaneamente, a coleta de dados por parte de outras empresas.

Equipe: Roberto Rohden; Luciano Simão; Pedro Melo e Vithor Marques.

Fechado para comentários.