(Crédito: Ana Luzia Moraes)
Grupo quer reduzir salário de vereadores de Curitiba

Cidade pode ser a primeira capital do país a aprovar a proposta recentemente

Por: Ana Luiza Moraes, Débora Macedo e Gabriela Savaris

Um grupo de eleitores está mobilizado para reduzir o salário dos vereadores de Curitiba. A proposta é de que a remuneração, que é de R$ 14.225 mil, passe a ser de R$ 1,5 mil, uma redução de 90%, a partir de 2017. Aconteceu no último sábado (29), em frente ao prédio da Câmara Municipal de Curitiba, a mais recente manifestação, organizada por meio de redes sociais, da campanha. Apesar dos 10 mil confirmados no evento do Facebook, somente 40 pessoas compareceram ao ato.

Depois, alguns participantes caminharam até a Rua XV de Novembro, na tentativa de coletar mais assinaturas para o projeto de iniciativa popular que, para ser aprovado, necessita atingir 64 mil assinaturas. Até o último sábado (29) já existem aproximadamente 2 mil assinaturas presenciais e mais de 4 mil assinaturas virtuais. No entanto, essas não são consideradas pela Justiça, somente como apoio.

Na terça-feira (25), houve o primeiro ato a favor da causa. Nesse mesmo dia, o estudante de direito Luan de Rosa e Souza, um dos organizadores do movimento, foi ouvido em plenário pelo presidente da Casa, Ailton Araújo (PSC), e pelos vereadores Paulo Salamuni (PV), Bruno Pessuti (PSC) e Professora Josete (PT).

Luan Souza declara que ele e dois amigos se inspiraram nas cidades do interior que já tiveram a redução aprovada: Santo Antônio da Platina e Jacarezinho. Segundo o ativista, ainda no dia do discurso feito por ele no plenário, os vereadores não demonstraram reação nenhuma sobre o ato. “Posteriormente, vários vereadores vieram falar conosco, disseram que querem acolher a causa. Outros disseram que apoiam a iniciativa, mas não querem reduzir.” O estudante afirma também que apenas um terço dos vereadores estão abertos a negociações.

Lícia Valadares, 69, professora aposentada, que compareceu ao manifesto do dia 29, ressalta que os cidadãos devem se unir a esta luta, pois Curitiba pode ser a primeira grande cidade a conseguir essa redução e servirá de inspiração e modelo para outras capitais.

Vereador é contrário à proposta

O vereador Pier Petruzziello (PTB), que também atua como advogado, declarou-se contra a redução, pois acha o salário condizente com a responsabilidade da função. “Nós não temos que reduzir o salário como ganha um professor, nós temos que lutar para que o professor ganhe mais. O raciocínio é esse.” Ainda de acordo com ele, essa proposta, na prática, não teria muito efeito, e o melhor a fazer seria economizar de outras formas, como o corte de alguns cargos em comissão.

Caso o projeto seja aprovado, Petruzziello disse que se sentiria desmotivado, mas não acredita que deixaria o cargo. “No entanto, talvez no lugar de estar aqui no gabinete agora, eu poderia estar atendendo a um problema de algum cliente meu”.

Posição de vereador contrasta com opinião popular

De acordo com uma estimativa popular realizada na rede social Facebook, 87% das pessoas se declararam a favor da redução do salário dos vereadores. Algumas delas chegaram a falar que deveria ser reduzido para o valor de um salário mínimo. “A frase do momento no país inteiro é ‘precisamos fazer corte nas despesas’. Então, por que não começar pelos próprios salários dos políticos?”, indaga o universitário Samuel Gonzaga.

Para o estudante Sergio Bisinelli, seria muito difícil conseguir esse ajuste salarial, pois a grande maioria dos vereadores discorda da proposta. “Deveria haver, ao menos, um controle de que eles estão indo trabalhar, um tipo de ponto para que eles cumpram as horas semanais. E, se não forem trabalhar, descontar proporcionalmente as horas faltantes, pois muitos só vão para o plenário em dias de votação”, completa. Em Guaxupé (MG), já foi criado um projeto de lei que pretende determinar aos vereadores a carga horária de, no mínimo, 3 horas diárias de trabalho em seus gabinetes.

terceiro manifesto está marcado para o sábado (19), às 15h, novamente em frente à Câmara Municipal.

Interior reduziu salários em quase 75%

O primeiro município do Paraná a aprovar recentemente a redução salarial dos vereadores foi Santo Antônio da Platina, na região Norte. Devido à pressão popular, o salário, que atualmente é de R$ 3,7 mil, passará a ser de R$ 970,00, uma redução de 74%. Já em Jacarezinho, será de 30%, passando de R$ 6,2 mil para R$ 4,34 mil. Pelo menos outros 21 municípios paranaenses já possuem propostas para a redução dos salários.

Fechado para comentários.