phoca_thumb_l_cor18
Leandro Almeida é uma das peças fundamentais no sistema defensivo alviverde

O zagueiro falou da importância que a torcida alviverde tem no Couto Pereira

Michel de Alcantara

O Coritiba mostrou estabilidade em sua defesa no campeonato paranaense e no começo do Brasileirão. E essa força defensiva se deve muito ao zagueiro Leandro Almeida. O jogador, nascido em Belo Horizonte, chegou ao clube alviverde no começo deste ano, após negociação com o Dínamo de Kiev. O clube ucraniano detém 50% dos direitos de Leandro, enquanto o Coxa possui os outros 50%.

O zagueiro mineiro começou sua carreira profissional pelo Atlético-MG, time em que conseguiu destaque nacional. Ao todo, disputou 101 jogos com a camisa do Galo, marcando 14 gols. Em 2008 atingiu uma marca interessante, quando foi artilheiro do time no Campeonato Brasileiro com sete gols. No ano seguinte, o jogador se transferiu para o Dínamo de Kiev e permaneceu lá por três anos.

Leandro Almeida comemora o primeiro título com a camisa do Coritiba

Leandro Almeida comemora o primeiro título com a camisa do Coritiba
Foto: Site oficial Leandro Almeida

Em janeiro de 2013, Almeida chegou ao Verdão do Alto da Glória, garantindo desde o começo seu lugar como titular. Conquistou logo seu primeiro título pelo time, quando o Coritiba foi tetracampeão paranaense. No campeonato nacional, o time chegou a liderar, mas acabou caindo com as inúmeras lesões de seus jogadores. Leandro Almeida sofreu com isso, após sofrer uma pancada no tornozelo direito e ficar pouco mais de um mês fora do time. Desde o seu retorno já foram cinco jogos, e os números se mostram favoráveis com a volta do zagueiro. Foram apenas quatros gols sofridos, uma média de menos de um gol por partida.

Para falar um pouco mais sobre sua carreira, Leandro Almeida conversou com a equipe do Portal Comunicare. Almeida respondeu sobre o seu começo, a chegada ao Atlético-MG, a adaptação na Ucrânia e o momento no Coritiba.

 

Confira a entrevista na íntegra:

PC: Conte um pouco como foi que você entrou no mundo do futebol.

Leandro Almeida: Com 10 anos meu pai me levou na escolinha do Cruzeiro. Depois de 2 anos na escolinha, fui jogar no Cruzeiro. Com 14 anos fui mandado embora por ser pequeno pra jogar na zaga. Fui para o Villa Nova/MG. Lá fiquei 2 anos e meio e saí por alguns problemas do clube. Fui jogar em um time pequeno em Minas e no final do campeonato o Atlético/MG me chamou pra fazer teste. Com 18 anos fiz meu primeiro contrato profissinal na base do Galo. E com 19 pra 20 anos fiz o meu primeiro jogo no profissional pelo Atlético/MG.

PC: Quando apareceu a oportunidade para ser jogador do Atlético-MG?

Leandro Almeida: Foi jogando em um time chamado Real de Caeté, no final de um jogo contra o Galo, o diretor da base me chamou para fazer um teste e disputar um campeonato pelo juvenil. No ano seguinte já estava apresentando no júnior, aonde tive oportunidade de jogar e mostrar meu potencial. Graças a Deus deu tudo certo e 2 anos depois estava no profissional.

PC: Como foram seus três anos na Ucrânia? Teve muitas dificuldades na adaptação de um novo país e com o futebol praticado lá?

Leandro Almeida: No início foi muito complicado: clima, idioma, estilo de jogo muito diferente do Brasil. Mas logo quando cheguei o treinador já me escalou como titular isso me ajudou demais. E no meu time já tinha 5 brasileiros, o que facilitou em algumas situações

PC: O que mais pesou para aceitar o convite do Coritiba?

Leandro Almeida:Pelo projeto que o Coritiba tinha pra esse ano e pelos jogadores que o time tinha no elenco. Além disso, pela amizade que tenho com ex-diretor Felipe Ximenes, que me trouxe para o clube.

PC: Uma de suas características em campo é a tranquilidade, independente do momento vivido pelo clube dentro e fora das quatro linhas. Sempre foi assim ou foi algo adquirido com o tempo?

Leandro Almeida: Sempre fui muito tranquilo fora e dentro de campo, desde que comecei a jogar bola. Tem que ser tranquilo, mas saber das responsabilidades.

PC: Na sua opinião, as lesões foram determinantes para que o Coritiba tivesse essa queda no campeonato?

Leandro Almeida: Sem dúvida. Nosso time estava muito bem até começar as lesões. Se eu não me engano, chegamos a ter 15 atletas no DM. Mais da metade do time considerado titular se machucou. Isso atrapalha qualquer planejamento e com certeza influenciou nos resultados. Uma pena, pois o Marquinhos Santos ficou prejudicado com isso. Mas agora, com o Péricles Chamusca, estamos retomando nosso bom início de temporada.

PC: O Coritiba mostrou um ótimo futebol contra Cruzeiro e Grêmio, resgatando a confiança da torcida. Você acha que o time ainda pode brigar por algo no campeonato ou a fuga do rebaixamento é o que restou para o clube?

Leandro Almeida: Foram duas vitórias que mostraram que nosso grupo é forte. Não vencemos por acaso, jogamos bem contra equipes que lutam pelo título. Tivemos um momento de oscilação, mas agora vamos retomar o caminho certo, jogando bem e vencendo. Infelizmente ficou tarde para almejar algo mais, faltando apenas sete rodadas. Mas vamos entrar nos jogos nesta reta final para conquistar vitórias. Ainda não evitamos o risco de rebaixamento, que virou nosso objetivo nos últimos meses, mas já abrimos sete pontos de vantagem. Quando nosso grupo se reúne e conversa, dá pra notar que todos estão empenhados para tirar o Coritiba dessa situação

PC: O Coritiba tem a terceira melhor campanha dentre os mandantes no campeonato brasileiro. Até que ponto o apoio da torcida é importante para que o time consiga ter esse desempenho no Couto Pereira?

Leandro Almeida: O apoio da torcida é essencial e nos motiva muito dentro de campo. Já passei por algumas equipes e a torcida do Coxa é muito grande, canta bastante e nos incentiva do início ao fim. É claro que existem momentos de cobrança, faz parte, mas eu acho que, com a torcida nos apoiando no Couto Pereira, fica difícil ganhar da gente. Espero que essa ligação continue por muito tempo. Eu, particularmente, tenho uma ótima relação com a torcida. Quando estou na rua, sempre me param para me elogiar e isso é muito bacana.

PC: A adaptação na cidade de Curitiba foi tranquila? O que tem achado da capital paranaense?

Leandro Almeida: Foi sim, eu só acho que dentro da minha casa é muito mais frio que o lado de fora (risos). Tirando esse frio, é uma bela cidade!

PC: Você tem algum ídolo dentro do futebol que joga ou jogou como zagueiro?

Leandro Almeida: Ronaldo pra mim foi o melhor de todos. Como zagueiro, admiro muito o Thiago Silva, acho ele muito bom.

PC: Seleção brasileira é um objetivo a ser alcançado?

Leandro Almeida: Todos os jogadores sonham em jogar na seleção. Tive o prazer de vestir uma vez a camisa da seleção. Fui convocado no final de 2007, no meu primeiro ano como profissional. Quem sabe ainda apareça uma nova oportunidade. Sei que é difícil, mas vou continuar fazendo minha parte no Coritiba.

PC: Você acha que jogando no Coritiba há chances de ser convocado para a seleção ou jogar em algum time do eixo Rio-São Paulo é mais fácil para que isso aconteça?

Leandro Almeida: As estatísticas mostram que são menos jogadores fora do eixo convocados. Mas não é uma regra. O Emerson, zagueiro (hoje no Atlético/MG), foi convocado jogando pelo Coritiba. Em Minas mesmo tem vários jogadores frequentemente chamados. Talvez a visibilidade lá seja maior, por causa da imprensa nacional, mas eu acho que o técnico Felipão e sua comissão técnica observam todos os jogos.

Leandro Almeida em ação pelo Dínamo de Kiev

Leandro Almeida em ação pelo Dínamo de Kiev

Fechado para comentários.