Manifestação em Curitiba reúne 350 pessoas

Aumento na tarifa de ônibus na capital paranaense causa leva manifestantes ao centro de Curitiba, em caminhada pacífica. 

Por Bruna Caroline, colaboração de Roberto Rohden 

Cerca de 350 manifestantes se reuniram na tarde desta quinta, no Centro de Curitiba, para protestar contra o aumento da tarifa do transporte coletivo.  O grupo se concentrou na Boca Maldita, às 18h, e de lá, seguiu por uma caminhada pelas ruas centrais da capital, passando pela Praça Tiradentes, e pela Universidade Federal do Paraná. O protesto chegou a fechar o cruzamento entre a Avenida Marechal Floriano Peixoto e a Marechal Deodoro por alguns minutos, local onde os manifestantes queimaram bonecos, com o rosto do atual prefeito da cidade Gustavo Fruet. O trânsito foi orientado pela Polícia Militar.

O ex-candidato do PSOL ao governo do estado, Bernardo Pilotto, esteve presente durante toda passeata apoiando os manifestantes. Para ele, o movimento é prova de que os argumentos da Prefeitura não convenceram o cidadão curitibano. “Tem muita gente insatisfeita, com o aumento da passagem, gente que não caiu na conversa da Prefeitura, dos seus vídeos bonitinhos, e que se mantém contra o aumento da passagem. R$ 2.85 já era caro, R$ 3,30 é insuportável. Ou a Prefeitura resolve o problema indo contra as empresas, ou ela vai continuar penalizando a população que anda de ônibus”, reclama Pilottto.

A enfermeira Leticia Cabral, de 26 anos, que participou ativamente da manifestação, diz que a solução para estabilizar o preço das passagens de ônibus talvez seja a estatização das empresas de transporte coletivo. “As empresas de ônibus não oferecem um processo com clareza das contas, tanto que uma pauta histórica da luta pelo transporte aqui em Curitiba, e a abertura das caixas pretas da URBS, porque não existe uma transparência dos valores de quanto é arrecadado, e de quanto é gasto”, argumenta.

Os manifestantes encerraram o protesto por volta das 22 horas em frente a sede da Prefeitura Municipal de Curitiba. A partir desta sexta-feira, a passagem do transporte coletivo passa a valer R$ 3,30 para quem pagar em dinheiro e R$ 3,15 para usuários do cartão-transporte.

Entenda o aumento

Desde sexta-feira (6), a nova tarifa de ônibus em Curitiba começou a vigorar. O valor, que antes era de R$ 2,85, passou para R$ 3,15 utilizando o cartão-transporte e R$ 3,30 para pagamentos em dinheiro. Segundo o contrato assinado a partir da licitação de 2010, em fevereiro é feita a

a recompor totalmente a inflação dos últimos dois anos, que foi de aproximadamente 12%. Além disso, ela inclui o reajuste do salário base dos trabalhadores do transporte público, que foi de 20%. De acordo com a Prefeitura, antes da correção dos preços, cerca de 50% do valor da tarifa era para cobrir o salário dos funcionários.

Entretanto, os preços diferentes para quem pagar com cartão e quem pagar com dinheiro foram contestados pelo Procon e MP-PR, pois ferem os direitos do consumidor. Cobrar preços distintos pelo mesmo serviço prestado vai contra as leis de defesa do consumidor. Em uma reunião entre a Prefeitura e os órgãos citados, que ocorreu na ultima quinta-feira (5), ambas as partes não chegaram a um consenso, com isso, a tarifa permanece, desde o dia 6, com valores diferentes.

A assessoria de imprensa da Urbanização de Curitiba (Urbs), afirma que a Prefeitura do município considera legal o desconto para quem usa o cartão, mas caso não seja aprovada pelo MP-PR e pelo Procon, o desconto será desfeito.

“A Prefeitura de Curitiba considera que o desconto para pagamento com cartão transporte é legal e inclusive praticado em outras capitais e em outras cidades paranaenses. Caso a Justiça seja demandada pelo MP e Procon e considere o desconto correção da tarifa técnica.

O antigo preço da passagem vigorava desde março de 2013, portanto a correção do valor que é de R$ 0,30 (10,5%) não chega na tarifa para pagamento com cartão ilegal, a Prefeitura terá que acabar com o desconto na tarifa paga com cartão.”, alegaram.

ENTENDA O AUMENTO 

Desde sexta-feira (6), a nova tarifa de ônibus em Curitiba começou a vigorar. O valor, que antes era de R$ 2,85, passou para R$ 3,15 utilizando o cartão-transporte e R$ 3,30 para pagamentos em dinheiro. Segundo o contrato assinado a partir da licitação de 2010, em fevereiro é feita a

a recompor totalmente a inflação dos últimos dois anos, que foi de aproximadamente 12%. Além disso, ela inclui o reajuste do salário base dos trabalhadores do transporte público, que foi de 20%. De acordo com a Prefeitura, antes da correção dos preços, cerca de 50% do valor da tarifa era para cobrir o salário dos funcionários.

Entretanto, os preços diferentes para quem pagar com cartão e quem pagar com dinheiro foram contestados pelo Procon e MP-PR, pois ferem os direitos do consumidor. Cobrar preços distintos pelo mesmo serviço prestado vai contra as leis de defesa do consumidor. Em uma reunião entre a Prefeitura e os órgãos citados, que ocorreu na ultima quinta-feira (5), ambas as partes não chegaram a um consenso, com isso, a tarifa permanece, desde o dia 6, com valores diferentes.

A assessoria de imprensa da Urbanização de Curitiba (Urbs), afirma que a Prefeitura do município considera legal o desconto para quem usa o cartão, mas caso não seja aprovada pelo MP-PR e pelo Procon, o desconto será desfeito.

“A Prefeitura de Curitiba considera que o desconto para pagamento com cartão transporte é legal e inclusive praticado em outras capitais e em outras cidades paranaenses. Caso a Justiça seja demandada pelo MP e Procon e considere o desconto correção da tarifa técnica.

O antigo preço da passagem vigorava desde março de 2013, portanto a correção do valor que é de R$ 0,30 (10,5%) não chega na tarifa para pagamento com cartão ilegal, a Prefeitura terá que acabar com o desconto na tarifa paga com cartão.”, alegaram.

Fechado para comentários.