Mundo em equilíbrio começa com ação individual

Para além do corpo físico e da ideia do coletivo, ­a proposta da sustentabilidade é que ela comece dentro de cada um

Por Vanessa Gavilan Mikos

É comum que se associe o impacto ambiental a grandes indústrias e a proteção do meio ambiente a sociedade como um todo. Porém, o conceito de sustentabilidade individual defende que apenas o homem pode mudar a qualidade de vida do mundo e que tal preservação começa por si.

Para a professora de yoga Luana Mezadri, muito se fala da sustentabilidade que se trata do todo, de fora para dentro, ignorando o fato de que a base de toda estrutura coletiva é formada por indivíduos. “Se são os indivíduos que conduzem as diretrizes e ações para o ambiente e para o coletivo, como seres insustentáveis poderão ser capazes de conduzir ações sustentáveis?”, indaga.

Ela afirma que é necessário compreender que o bem-comum parte do equilíbrio de cada pessoa e que isso só acontece na medida em que corpo, mente e alma estão na mesma sintonia. Luana acentua que muitas pessoas podem achar que isso é crença ou religião quando, na verdade, há estudos científicos provando que tudo está em sincronia na matéria física.

“Se pararmos um momento para refletir, é fácil concluir que a insustentabilidade do planeta é uma insustentabilidade de cada um dos seus quase sete bilhões de indivíduos”, declara Crystina Figueredo, terapeuta quântica. Crystina defende que as ações individuais não devem ser praticadas apenas pensando em si, mas que, ao se tornarem um hábito, trazem benefícios para a saúde e economia, além de se tornarem atividades prazerosas.

O empresário da área comercial, Emanoel Bucheski, conta que ao começar a praticar yoga, despertou sua consciência para o equilíbrio de corpo, mente e alma, reformulando seu conceito sobre sustentabilidade. “Econômica, ambiental e social, é essa a sustentabilidade que tento aplicar no meu negócio, de nada adianta eu querer ser sustentável se olhar apenas para um lado, para uma causa. A sustentabilidade só é efetiva quando ela começa dentro de você, só assim ela reverbera para todos”, diz.

Ambas afirmam que a consciência é fundamental pois tem um grande poder de transformação, porém, sem atitude, a sustentabilidade não acontece. “O equilíbrio está justamente em saber conectar o seu ser ao todo, tanto a cada indivíduo que compõe nossa sociedade, quanto ao meio ambiente em que vivemos. É preciso sempre lembrar que se não tivermos casa para morar, não temos nada”.

 

Faça você mesmo

Para a arquiteta Nicole Heritt, a prática da sustentabilidade individual pode ser mais simples do que a maioria das pessoas pensam. Ela se interessou pelo tema ao fazer um projeto de casa ecológica, trabalho que a fez prestar mais atenção e mudar alguns hábitos do dia a dia.

Nicole Heritt é adepta à teoria de que o equilíbrio do ser gera sustentabilidade. (foto: Vanessa Gavilan)

Nicole Heritt é adepta à teoria de que o equilíbrio do ser gera sustentabilidade.

(foto: Vanessa Gavilan)

Como colocar em prática o conceito de sustentabilidade individual nas atividades cotidianas:

  • Voto: O voto é a base da transformação na sociedade, escolher os governantes pelo histórico é uma referência para sustentabilidade. Eleger pessoas que defendam os direitos constitucionais e promovam ações em prol da manutenção e melhoria da qualidade ambiental. Fiscalizar e saber expressar insatisfação sempre que os direitos de um ambiente ecologicamente equilibrado forem desrespeitados, acionando os órgãos ambientais locais e federais.
  • Consumo consciente: Ao efetuar suas compras, reduza-as ao mínimo necessário. Todos os produtos adquiridos geram impactos sobre o meio ambiente, principalmente na produção de lixo.
  • Preciclagem: Além dos 3R’s (reduzir, reutilizar e reciclar), preciclar. O conceito resume a preocupação dos consumidores em diminuir a produção dos resíduos logo no ato da compra, optando pelos produtos de materiais biodegradáveis ou recicláveis, ou reduzindo a quantidade de embalagens. Pensar antes de comprar!
  • Bricolagem: É a reutilização de objetos e utensílios em casa ou a transformação de algo que não se usa mais. Personalizar um objeto da sua casa ou fazer um reparo sem a intervenção de um profissional, são atitudes que incentivam a sustentabilidade e a redução dos custos.
  • Cuidados com carro: Os manuais atuais trazem muitas recomendações de formas menos impactantes para utilizar um veículo. Pneus descalibrados são a maior fonte de desperdício de combustível, adquira o hábito de calibrá-los regularmente. Utilize a buzina apenas em caso de reconhecida necessidade (advertência, segurança) pois além descortês, polui o ambiente. Sempre que possível, substitua o uso do carro para ir a lugares mais próximos, por uma caminhada. “Não faz sentido deslocar uma tonelada de ferro para trazer 100 gramas de pão”, diz Luana. Para ela, a carona solidária é um bom começo.
  • Convívio social e com a natureza: A maneira como as pessoas se relacionam entre si e com a natureza também é sustentabilidade. A interação com o meio ambiente traz benefícios à sua saúde, consequentemente à qualidade de vida de todos, e desperta cada vez mais o senso de valorização e preservação. O convívio social, principalmente o engajamento do indivíduo em causas sociais, promove a igualdade, garante direitos, e proporciona o exercício pleno da cidadania.
  • Ação pró-sustentabilidade: “Se você fizer algo pró-sustentabilidade e eu não, comprometeremos a sustentabilidade. Se eu e você não fizermos nada pela sustentabilidade, definiremos a insustentabilidade do amanhã”, diz Crystina. Pensar proporciona compreensão e estimula a ação. As pessoas só agirão pela pró-sustentabilidade se compreenderem o seu contexto, que vai além do aqui e agora, “do você e eu”. O indivíduo precisa conhecer as interconexões de suas escolhas e atitudes com o meio ambiente humano e natural.
  • Exemplo como discurso mais eficaz de sustentabilidade: O exemplo educa. Situações em que o discurso é divergente da prática são insustáveis, a coerência é um dos pontos centrais da sustentabilidade. O homem é um ser social, fruto do meio, e por isso sente-se parte integrante de onde vive. Se a comunidade da qual ele faz parte se preocupa com os rios, as ruas, o lixo, ele será “estimulado” a ter comportamento igual, a recíproca também é verdadeira. Em situações que queira mudar hábitos, a orientação é começar a agir onde estiver.
  • Redes sociais promovem sustentabilidade: Para transformar é necessário formar massa crítica e a internet pode ser uma aliada. As redes sociais permitem que indivíduos com afinidades e objetivos comuns possam formar grupos trocar experiências, juntar forças e conquistar seguidores. São livres e democráticas e quanto mais liberdade de expressão, mais opinião e atitude.

Deixe um comentário