A Pedreira Paulo Leminski, fechada para eventos desde 2008 (Foto: Luciano Simão)
Na falta da Pedreira, novos shows vem ao Bioparque

Espaço já conquista fãs no cenário musical e compete com o antigo local dos shows

Luciano Simão

Desde que fechou em 2008, a Pedreira Paulo Leminski faz falta aos curitibanos fãs de shows e grandes eventos. O espaço de 103,5 mil m², que já foi palco de grandes apresentações como a dos Ramones em 1994 e a do Iron Maiden em 2008, encontra-se no limbo: diversos eventos já foram anunciados como a reinauguração do local, mas nenhum ocorreu.  Porém, uma alternativa vem aos poucos se consolidando: o Bioparque.

Trata-se de um amplo espaço verde próximo à entrada de São José dos Pinhais. O local funciona normalmente como um parque, e atrai muitos visitantes da região do Uberaba e de São José dos Pinhais. Desde que hospedou o festival Lupaluna em 2009, no entanto, o local passou a ser visto como algo a mais, e a programação cultural tem aumentado.

Já estão previstos para o Bioparque o Circuito Banco do Brasil (com a presença de O Rappa e outros artistas nacionais) e o show da banda estadunidense Aerosmith, em outubro.

Na noite desta terça-feira (24), foi realizado o show da banda de heavy metal Iron Maiden. Este mesmo show havia sido confirmado para a Pedreira, mas foi transferido ao Bioparque devido aos atrasos na reabertura.

“O show estava simplesmente demais”, relata Carlos Alves, estudante. “A estrutura, a acústica, tudo impecável. Além disso, o lugar é lindo, com árvores e água para todo lado. Na minha opinião, é até mais bonito que a Pedreira”.

Para alguns, no entanto, a Pedreira continua fazendo falta. “Em 2004, pude assistir ao show do Pearl Jam na Pedreira. Realmente, não poder usufruir daquele impressionante espaço chega a ser triste”, lamenta Caio Takemoto, estudante de Direito. “Estou até agora, assim como muitos, esperando poder assistir um show de grande porte na minha cidade”, complementa.

A Pedreira Paulo Leminski, fechada para eventos desde 2008 (Foto: Luciano Simão)

A Pedreira Paulo Leminski, fechada para eventos desde 2008
(Foto: Luciano Simão)

Pedreira x Bioparque

“A Pedreita tem aquela coisa mística. É a Pedreira! Não tem em nenhum lugar do mundo um lugar assim”, explica Alexandre Machado da Silva, dono e administrador da Curitiba Underground, empresa especializada em organizar excursões para shows de rock fora da capital paranaense.

“Mas o Bioparque tem, sim, potencial pra substituí-la, porque a  Pedreira tem um problema sério. Quando você entra nela, ela não é plana, ela tem um desnível, então ficam todos dentro de uma cratera. Só tem uma saída, e essa saída não dá vazão para, por exemplo, 30 mil pessoas que podem estar ali dentro. Então eles dizem que pra fazer um show ali caberia, no formato atual, apenas 15 mil pessoas, e isso é inviável para os produtores.  Esse problema já não ocorre no Bioparque, onde a vazão das pessoas em caso de algum incidente é muito mais fácil”.

Equipe: Luciano Simão, Pedro Melo, Roberto Rohden e Vithor Marques.

Fechado para comentários.