Candidato ao governo do Estado abre sabatinas na Record News Paraná
“Não sou linha auxiliar de Beto Richa”, afirma Ogier Buchi

Em entrevista exclusiva após sabatina, candidato do PRP ao governo do Estado nega ser “laranja” de tucano

Por Vithor Marques

Fotos Matheus Urbano

Candidato ao governo do Estado abre sabatinas na Record News Paraná

Candidato ao governo do Estado abriu sabatinas na Record News Paraná

O advogado e comunicador Ogier Buchi (PRP) foi o primeiro candidato a governador do Paraná a participar da série de sabatinas da Record News Paraná – Rede Mercosul, que começou na segunda-feira (18).

Depois da sabatina, a equipe do Portal Comunicare fez uma entrevista exclusiva com o candidato. Ele falou de temas polêmicos, como finanças do Estado, desavenças políticas com outros candidatos e expôs algumas de suas propostas.

Portal Comunicare (PC): O senhor é um profissional da imprensa que sempre teve opiniões ácidas em relação aos políticos. Como é estar do outro lado agora?

Ogier Buchi: Num momento você é pedra, e em outro você vira vidraça. E quero dizer o seguinte: que saudade de ser pedra. A gente tem a personalidade que tem. Eu estou candidato, mas eu sou o sujeito que eu sou e por isso, a gente paga um preço bastante alto. Infeliz daquele que muda de personalidade, só porque está em uma situação diferente. Sou o que eu sou, sempre fui crítico e continuarei sendo crítico. Eu sou o meu maior crítico. Pode ter certeza que eu assistirei a entrevista (dada à Rede Mercosul). Todas as respostas que dei, vou me achar incompetente, que deveria ter respondido diferente. Acho que o exercício da autocrítica é algo muito importante não somente para o homem público, mas para todos.

PC: Uma parte da imprensa taxa-o de “laranja” de Beto Richa, pois o senhor critica principalmente Roberto Requião e Gleisi Hoffmann. O que o candidato diz disso?

Buchi: Em campanha política, criam-se os factóides à medida que interessa os diferentes segmentos. Como não se pode dizer nada de mim, eu nunca roubei dinheiro público e nunca me envolvi em escândalos, enfim, eu não sou igual a maioria dos políticos, é mais fácil falar que eu não critico o atual governador. Não é verdade. Se você olhar aos meus 44 pontos de campanha, verá que têm elogios ao Beto Richa, mas também têm elogios ao Roberto Requião. As pessoas notam que eu sou muito crítico ao Governo Federal. As críticas que fiz são referentes ao que o Governo Federal tratou o meu estado. Estas não são críticas políticas e sim de um cidadão. As pessoas que acham que eu sou linha auxiliar do atual governador devem assistir os programas de televisão. Tive uma oportunidade única aqui na Rede Mercosul.

PC: Segundo alguns veículos, o Estado está economicamente quebrado. Como o senhor pretende resolver essa situação, sem afetar o investimento às cidades?

Buchi: O investimento às cidades é abalizado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano. A maioria das verbas duplas, ou seja, o Governo Federal e Estadual. Quando se fala que o Governo Estadual está quebrado, isso não quer dizer que isso se refere só a esfera estadual. O Governo Federal também está quebrado, porque vem maquiando o orçamento, ou seja, o crescimento do nosso país sofreu uma solução de continuidade. Eu não pretendo diminuir o investimento dos municípios, até porque este tipo de investimento vem de verbas contingenciadas. Então, não está ao alcance do governador dizer que não quer mais mandar dinheiro para uma cidade. Ele é constitucionalmente proibido de fazer isso. Eu não vou fazer isso. Eu vou economizar, por exemplo, viajando mais de carro, como faço sempre. Gastando menos dinheiro com helicóptero, pedindo menos carona no jato daquele rapaz dono de uma empresa de pneu, essas coisas que são importantes fazer.

PC: Ano passado saiu uma pesquisa apontando algumas cidades com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito abaixo do aceitável, como Doutor Ulysses, por exemplo. O que o senhor fará para essas cidades?

O IDH é preocupação constante nos governos. Já em 2002, havia um projeto da Universidade Federal do Paraná e o Governo do Paraná para transformar a realidade dessas cidades em algo melhor. Eu só acredito em desenvolvimento com educação e industrialização. O que acho fundamental é levar algum tipo de capacidade industrial, não só para Doutor Ulysses, mas todos os municípios que são vizinhos a São Paulo, no Leste do Paraná.

A equipe do Portal Comunicare fará a cobertura de todas as sabatinas da Rede Mercosul.  Confira a programação:

19/08 – Beto Richa

20/08 – Túlio Bandeira

21/08 – Bernardo Pilotto

22/08 – Geonísio Marinho

25/08 – Roberto Requião

26/08 – Rodrigo Tomazini

27/08 – Gleisi Hoffmann

Fechado para comentários.