Joel Malucelli
“Nenhuma cidade brasileira está preparada”, afirma Joel Malucelli sobre a Copa

Em entrevista exclusiva para o PUC Sports, Joel Malucelli comentou sobre a Copa do Mundo em Curitiba e a situação do esporte no país

Por Gabriel Sawaf, Leonardo Dulcio e Pedro Melo

O nome dele é predominante em todas as áreas do estado seja no futebol, na construção civil, na economia ou até mesmo na política. O empresário Joel Malucelli está presente nos debates paranaenses sobre todos os assuntos. O presidente de honra do J Malucelli acompanhou a derrota do Jotinha por 2 a 0 para o Novo Hamburgo, do Rio Grande do Sul, sacramentando a eliminação do time na Copa do Brasil e o fim do calendário de jogos em 2014. Durante o intervalo do confronto, Malucelli atendeu a equipe do Portal Comunicare para uma conversa sobre Curitiba e a copa.

Empresário conversou sobre a perspectiva do futebol no país nos próximos meses com a Copa do Mundo. (Foto: Assessoria de Imprensa)

Empresário conversou sobre a perspectiva do futebol no país nos próximos meses com a Copa do Mundo.
(Foto: Ruthe Precoma/Assessoria de Imprensa J.Malucelli)

Joel Malucelli fundou o Malutrom em 1994, junto com a família Trombini. O time se destacou quando ganhou a Série C do Brasileiro, em 2000. Em 2005, houve a saída da família Trombini, e o time se chamou J.Malucelli, com administração do Grupo J.Malucelli, liderado por Joel. Em 2007, o CT da equipe em frente ao Parque Barigui foi remodelado e foi feito o primeiro estádio ecológico do Brasil, o Eco Estádio Janguito Malucelli, confeccionado com gramados no padrão FIFA e que será usado como centro de treinamento para as seleções que jogarem durante a Copa em Curitiba.

O estádio ecológico auxiliou o Atlético paranaense, time que disponibilizou seu patrimônio para os jogos do Mundial, ficando sem estádio durante para mandar suas partidas. O Jotinha alugou seu estádio para o Atlético em várias ocasiões, sendo fundamental para o retorno do Furacão à série A do Brasileirão. Além do Rubro Negro, Coritiba e Paraná também mandaram jogos lá. Joel afirma que isto fortalece o futebol paranaense. “a gente cedeu aqui [Eco Estádio] para o Atlético, vai ceder para o Paraná Clube, para o Coxa, o que precisar, nós precisamos de união”.

O empresário não participou da Copa em Curitiba apenas com o estádio. A empreiteira do grupo foi responsável pela construção do viaduto estaiado, concluído no último mês de Abril.

Durante a entrevista, Joel deu o seu palpite sobre a convocação de Felipão. Falou sobre como o Brasil está preparado para receber a Copa e sobre os protestos que podem vir a acontecer durante a competição. Também falou a respeito do Jotinha, que não possui mais calendário em 2014 e deu sua opinião sobre a proposta apresentada pelo Bom Senso FC.

Estádio que vai sediar a Copa recebeu como evento teste o confronto entre Atlético-PR e J. Malucelli, no dia 29 de Março. (Foto: Pedro Melo)

Estádio que vai sediar a Copa recebeu como evento teste o confronto entre Atlético-PR e J. Malucelli, no dia 29 de Março. (Foto: Pedro Melo)

Arena da Baixada

“Desde o começo eu acho que foi uma escolha errada fazer na Arena, que a Arena já existia, estava praticamente pronta, foi um desperdício fazer na Arena. Acho que deveria fazer na Vila Capanema, ou no Couto Pereira, ou mesmo lá no Tarumã um estádio novo. Com o dinheiro que foi gasto poderia ser feito um estádio novo. Eu achei que foi errado, mas a escolha foi feita, agora está quase pronto e tem que curtir”.

Preparação de Curitiba

“Nenhuma cidade brasileira está preparada, nós não temos mobilidade urbana, não temos sinalização, não temos preparo para receber um evento dessa natureza, mas o povo brasileiro vai superar isso tudo e acho que a alegria do povo, apesar de estar vivendo um momento de muito protesto. Mas enfim, tem que começar a Copa do Mundo para a gente sentir o que vai dar. É bonito o Brasil estar sediando isso, mas o momento não é legal. As prioridades do Brasil tem que ser outras, não as construções de estádio, obras desnecessárias, o Brasil precisa de muito mais coisa do que isso”.

Eco Estádio na Copa

“Parece-me que nós já temos a Rússia e Honduras, os dois países que treinarão aqui no Eco Estádio. Inclusive a Rússia já reservou a nossa sede e vem 100 jornalistas da Rússia e vamos ter que acomoda-los aqui. Então, garantidos já tem esses dois países e pode ser que a Nigéria faça um treinamento aqui também”.

Obras

“A obra que a J.Malucelli Construtora junto com a CR Almeida contratou foi a Ponte Estaiada e mais umas obras complementares que estão todas prontas e todas entregues, então, a parte de obras do grupo J.Malucelli foi só a ponte”.

Seleção brasileira

“O futebol brasileiro caiu muito e a seleção brasileira está 90% com jogadores que jogam fora, quem sabe até mais. O Felipão acertou, apesar de eu ser ao contrário, porque o Felipão praticamente rebaixou o Palmeiras e ganhou como premio a seleção brasileira, mas no fim a gente não tem razão em tudo no que fala e no fim deu certo. Eu acho que a seleção tá boa, o espírito tá bom e quem sabe vamos fazer um Mundial muito bom. Mas não podemos esquecer que Alemanha, Inglaterra, França, Argentina, Espanha são países muito fortes e como é um torneio muito rápido às vezes não ganha o melhor também, não adianta o povo brasileiro achar que já ganhou, vai ser duro e difícil”.

Participação de Joel Malucelli na Copa

“O que eu pude fazer é, modestamente, ajudar o futebol paranaense, que é o que mais quero. Então, a gente cedeu aqui [Eco Estádio] para o Atlético, vai ceder para o Paraná Clube, para o Coxa, o que precisar, nós precisamos de união, porque o Paraná tem que ser a quarta força do país, o Paraná é muito rico e o futebol tem que acompanhar essa força. Nós precisamos nos unir para ter três clubes na primeira divisão, um ou dois clubes na segunda divisão, isso tudo vai da união. Se cada um começar a torcer contra o outro, não vai chegar a lugar nenhum”.

Manifestações durante a Copa

“Eu acredito que terão manifestações, porque o povo está muito descontente, acho que a classe política no Brasil está deixando muito a desejar, não está falando a mesma língua do povo e os escândalos que tem se anunciado todos os dias envergonham nosso país, nós temos que começar a mudar e o início da mudança vai ser através de protesto. E o segundo fator positivo é o engajamento da juventude brasileira que começa a engajar mais nos protestos, na política, começa a protestar mais e acho que só assim nós vamos ver uma resposta do poder público”.

Manifestações nas eleições

“Já interferiram [nas eleições]. Essa próxima eleição não temos ideia do que vai ser na urna, porque o descontentamento é geral, a classe política tem feito muito pouca coisa boa, quase nada e a população com internet, comunicação, sabe de tudo que está acontecendo, das falcatruas, das sacanagens, dos aproveitamentos, do mau uso do dinheiro público, todo mundo está sabendo hoje em dia, não tem como esconder e o reflexo vai ser nas urnas. A expectativa do que vai sair nas urnas e acredito que teremos uma surpresa, muito voto em branco, muito voto nulo porque o povo está de saco cheio”.

Calendário

“Está errado também. Eles dão muito para os clubes da primeira divisão e pagam 500, 600 mil reais para um técnico, 400, 500 mil para um jogador que não joga. Está errado isso, temos que ter um teto para treinador e o resto vamos investir na Série B, na Série C, vamos fazer mais competições. Por que o empresariado não poderia ter seu time de futebol como eu tenho? Por que a Copel, a Sanepar, o Banrisul não pode ter seu time próprio? Para dar oportunidade, temos 120 mil jogadores e lugar para 5 mil, e o resto? Tem que dar oportunidade, com isso o futebol cresceria”.

Bom Senso FC

“Eu concordo em parte [Calendário]. O que eu sou contrário é esse pessoal que querem se aproveitar, são bem remunerados e querem jogar menos. Acho que temos que jogar mais. O Coritiba, por exemplo, e o Atlético tem mais de 70 jogadores, eles podem dar oportunidade para os outros, então, não é justo querer que jogue menos partidas no ano, acho um comodismo dessa turma que está tratando disso. Agora sobre criar mais níveis de campeonatos, Série D, Série E, Série F, eu sou favorável”.

J.Malucelli

“A gente faz um projeto e quem faz o futebol não sou eu e nem o Juarez, é o diretor técnico, o diretor de futebol, os técnicos e eles tem que trabalhar mais porque nós pagamos em dia, damos a oportunidade aos jogadores e trabalhamos muito tempo e temos que melhorar cada vez mais. Esse ano foi razoável e tínhamos tudo para estar disputando o [título] Campeonato Paranaense se tivéssemos mais um ou dois jogadores de melhor qualidade, então, tem que trabalhar.

1 comentário to ““Nenhuma cidade brasileira está preparada”, afirma Joel Malucelli sobre a Copa”
  • Marc
    16 de maio de 2014 -

    Só não concordo com ele quando diz que a copa deveria ser na Vila, no Couto ou no Pinheirão, com certeza teria sido mais caro do que foi. E outra, este dinheiro, não é dinheiro público, o Atlético terá que pagar, se não, simplesmente perderá o estádio, CT, etc. Para um empresário do su gabarito é uma tremenda bobeira dizer isso, ainda mais se tratando de roubalheira que ele comenta sobre os políticos. O estádio do Atlético é um dos poucos que foi o mais adequado.