Foto: Divulgação
Ministério da Saúde
“Irmã” da dengue, Febre Zika é investigada no Paraná

Zika Vírus, ou Febre Zika, é uma infecção muito similar à dengue.

Por Virginia Thais Freitas

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) está observando dois pacientes em Maringá com suspeita de estarem contaminados com um novo vírus que chegou este ano ao País, o Zika Vírus (ou Febre Zika). Até o momento, o Instituto Evandro Chagas confirmou oito ocorrências no Rio Grande do Norte e oito na Bahia – novos casos, em outros pontos do país, não estão descartados. O resultado dos exames foi divulgado pelo Ministério da Saúde.

O novos vírus é transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor da dengue. Os sintomas – que aparecem, em média, quatro dias após a picada – são parecidos com o da dengue, mas de menor intensidade. Os principais são febre alta e repentina, dores de cabeça e atrás dos olhos, dor muscular, erupções na pele e coceira, conjuntivite e muita dor nas articulações, mais frequentemente em mãos e pés, o que impede a movimentação.

Ao contrário da dengue, que pode provocar quadro hemorrágico, são raros os casos de complicações graves decorrentes do Zika Vírus.

O diagnóstico da doença é feito por avaliação clínica, com resultados de exames laboratoriais específicos. Em um primeiro momento, o paciente é observador até ser descartada a hipótese de dengue. Em seguida, é feito um novo exame, com vistas a descartar a hipótese de chikungunya.

Não há tratamento especifico para a doença,  apenas para o alivio dos sintomas. Podem ser usados remédios como anti-inflamatórios e analgésicos. Se houver indícios da doença em até sete dias, a indicação é retornar ao médico. “Não há risco de morte pela doença, mas lógico que tem que ser tratada o quanto antes. E tem de haver a prevenção da doença” diz o assessor de comunicação da Sesa,  Carlos Kiatkoski.

 

Confira sete dicas para combater o mosquito Aedes aegypti:

  1. Mantenha a caixa d’água sempre fechada com a tampa adequada.
  2. Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas.
  3. Não deixe água acumulada.
  4. Encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas.
  5. Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo.
  6. Cuide para que pneus não seja foco de acúmulo de água.
  7. Os cuidados são indispensáveis tanto para prevenir Febre Zika quanto dengue e outras doenças.

Fechado para comentários.