Paraná é o terceiro estado mais violento contra a mulher

Pesquisa mostra que apenas Espírito Santo e Alagoas têm mais casos

Natália Moraes

No último estudo divulgado pelo Mapa da Violência, o estado do Paraná obteve uma taxa de 6,3 mulheres assassinadas a cada 100 mil, ficando atrás apenas de Espírito Santo e Alagoas.

O aumento do rigor da Lei Maria da Penha trouxe resultados tímidos. Até julho deste ano, foram registrados 4.557 casos de violência contra 5.308 no mesmo período no ano passado. “Antigamente, a mulher poderia fazer apenas um boletim de ocorrência, mas com a alteração, agora ela é obrigada a processar em caso de lesão corporal”, conclui a titular da Delegacia da Mulher, Márcia Rejane Vieira Marcondes.

Por que não denunciam?

Os principais motivos, segundo a delegada, são a mulher querer continuar com o companheiro, vergonha social e até mesmo desconhecimento dos seus direitos. “Muitas mulheres não sabem que estão sendo agredidas. Faz parte do contexto delas. Pode ser que a mãe, vizinha, tia delas tenha sido vítima, o que as faz pensar: por que comigo seria diferente?”, diz.

Medidas
A delegada orienta que quando há uma ocorrência de crime, a vítima deve procurar qualquer uma das delegacias em Curitiba ou o Centro de Referência, que oferece atendimento a mulher vítima da violência, com um psicólogo ou assistente social.

Casa da Mulher Brasileira

Curitiba será uma das primeiras cidades a receber a Casa da Mulher Brasileira que integra o programa “Mulher: viver sem violência”, do governo federal. A previsão é que até o meio de 2014 a Casa já esteja em funcionamento. A ideia do projeto é que funcionem todos os órgãos de assistência a mulher em um único ambiente: Delegacia da Mulher, juizado da violência contra à mulher e o Centro de Atendimento à Mulher.

Fechado para comentários.