uritiba possuiu cerca de 15 mil catadores de lixo pela cidade.
“Pimp my carroça” dá nova cara aos carrinhos de papéis

Projeto já passou pelas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e chega à capital paranaense

Julia Baggio

uritiba possuiu cerca de 15 mil catadores de lixo pela cidade.

Curitiba possuiu cerca de 15 mil catadores de lixo pela cidade.

Os carrinhos de materiais recicláveis, que estão diariamente nas ruas de Curitiba ganharam cara nova. O projeto “Pymp my Carroça”, que já passou por São Paulo e Rio de Janeiro, chegou à capital paranaense. Em média 30 catadores de papéis tiveram seus carrinhos reformados. Todo o projeto foi pensado em cima do chamado “crowdfunding”, uma espécie de financiamento coletivo feito pela internet. O grupo conseguiu arrecadar 45 mil reais, e com estes fundos pagou a reforma dos carrinhos de material reciclável.

O evento do “Pimp my carroça” ocorreu no sábado (04), na praça 29 de Março , localizada no bairro Mercês e durou quase o dia todo. Além da reforma dos carrinhos, os próprios carregadores e as famílias receberam estética, cuidados médicos e orientação profissional. Houve ainda alguns shows de dj´s tocando músicas de rua, como o rap e o hip hop.

De acordo com o organizador do evento em Curitiba, Thiago Baptista, o projeto tem como objetivo montar uma espécie de galeria de arte circulante e dar voz aos catadores de lixo reciclável. “É muito importante isso em todas as cidades, 90% do que é reciclado no Brasil hoje, é coletado por eles. Então o projeto vem justamente para dar essa visibilidade a essas pessoas e para conseguir juntar também a sociedade e esses trabalhadores, que muitas vezes são descriminalizados”, diz o organizador.

Paulo Gonçalvez catador de lixo reciclável, apoia a ideia e defende a sua classe de trabalhadores. “As pessoas têm muito preconceito, acham que somos menos que elas e esse projeto vai nos dar mais visibilidade. Além de que nossas carroças ficaram muito mais bonitas. Perguntavam para nós o que gostaríamos colocar nas carroças, conversamos com eles para criarmos frases juntos”, diz.

Um dos principais objetivos do projeto era a integração dos catadores com a população. “Nós tínhamos em mente essa integração entre o catador e a sociedade, queremos que vejam eles de forma diferente, hoje acham que eles causam trânsito, sujam a rua, que são marginais, mas é totalmente ao contrário o que acontece”, afirma Baptista.

A estudante de Design Ana Carolina Teles, acredita que essa ação só irá contribuir para a beleza urbana das grandes cidades. “Achei essa ideia muito legal, os carrinhos ficaram lindos, realmente arte nas ruas de Curitiba, está dando voz à arte circulante das ruas da cidade”.

Novo evento

Um novo evento deve contemplar mais carrinhos em Curitiba.  A primeira meta do projeto foi pintar e customizar 50 carroças e carrinhos de catadores de material reciclável.

Fechado para comentários.