Processo de vinificação e degustação

Da plantação à garrafa, entenda como é o processo e aprenda a degustá-lo

Daniel Malucelli

Para se tornar saboroso, o vinho passa por todo um processo, com diferentes etapas, que influenciam diretamente no resultado final. Na primeira etapa, a uva, deve ser escolhida de acordo com a região e tipo de vinho que será produzido, e quanto melhor for a sua qualidade melhor será a bebida.

Segundo o sommelier Sérgio de Oliveira, o terroir (termo francês que significa a área com condições climáticas e agrícolas ideais para a produção da vinicultura) influencia diretamente na quantidade, qualidade e sabor da uva que será cultivada, variando conforme o solo, clima, terreno, umidade, temperatura etc.

O esmagamento, que antigamente era feito com os pés, hoje é feito por uma máquina.  Ainda segundo o sommelier, após este esmagamento, forma-se uma mistura de cascas, bagas e sucos, chamado de mosto. Depois vem o processo mais delicado e complexo da produção vinífera: a fermentação. Cada vinho passa por um processo diferente, mas é nessa parte em que a bebida ganha forma e se torna um vinho.

“Já a parte do envelhecimento dos vinhos varia muito. Alguns passam por barricas de madeira, e com isso ganham outros aromas, ficam mais encorpados. Depende também se a madeira foi tostada ou não. Muitas vezes o vinho ganha odores depois de um tempo, como baunilha, trufas e outras especiarias. Já o vinho que não descansa em madeira, geralmente é mais frutado”, disse Oliveira.

Essa produção é feita em alguns lugares aqui no Paraná, principalmente na região de São José dos Pinhais, no chamado Caminho do Vinho.

Como degustar um bom vinho

Comece pela análise do rótulo. Veja qual uva foi usada, seu ano de engarrafamento e local de produção. Veja a textura, cor e faça uma análise visual, levantando a taça contra um ponto de luz. Uma curiosidade é que existem taças específicas para variados tipos de vinhos.

Faça o exame olfativo com o vinho parado na taça. Em seguida gire-a em movimentos rotativos e cheire novamente. “Sinta também os aromas secundários, como florais e especiarias e os aromas terciários, característicos da oxidação do vinho, que podem ser de baunilha, tostados e outros”, explicou o sommelier.

Deguste o vinho em pequenas quantidades. Deixe ele passear pela boca e aspire um pouco de ar com os lábios semiabertos. Sinta a harmonia entre sabores, odores e textura. Sérgio de Oliveira também explicou sobre o retro gosto. “O retro gosto é o que você sente após tomar o vinho. É o aroma que você expira. Às vezes, se tomar o vinho sem prestar atenção, nem se nota esta parte”.

[vsw id=”AADJm0AS2tQ” source=”youtube” width=”425″ height=”344″ autoplay=”0″]

Agora que já sabe como degustar um vinho, aprenda a harmonizá-lo com pratos.

seta-vermelha - Cópia                                                                                                                                           seta-vermelha

Fechado para comentários.