Projetos voluntários levam alegria a crianças em hospitais

Ações despertam ânimo e disposição para pacientes enfrentarem tratamento

Por Barbara Schiontek, Flávia Mota e João D’Ambros

Visitas lúdicas nos hospitais são uma maneira de fazer com que os pacientes fiquem mais animados e tenham disposição para continuar o tratamento. Em Curitiba, existem vários grupos que conduzem esses encontros e vão até os hospitais, com o intuito de deixar o dia das crianças, dos adultos e dos idosos mais feliz.

Estudantes promovem o Projeto Vagalume levando diversão para pacientes que estão no Hospital Universitário Evangélico do Paraná e na Unidade Renal,no bairro Portão. Os alunos de medicina Gustavo Grohs e Isabel Volski participam desta ação voluntária levando a arte do palhaço até os pacientes.Ao todo o projeto conta com 26 membros, atendendo desde crianças até adultos que estão internados no hospital.

A ação foi fundada há 12 anos pela médica chefe, Caroline Biondo, que buscou trazer um momento de alegria para os pacientes. O projeto conta com a participação dos alunos da faculdade FEPAR que passam por um processo de seleção e capacitação para participar.

As visitas ocorrem a cada duas semanas aos sábados. Durante os encontros os alunos realizam atividades envolvendo música e dança, além de malabarismos, leitura de histórias e truques de mágica atendendo, ao menos,dez crianças em cada visita.

Projeto Vagalume ajuda no tratamento de crianças

Residente na área de pediatria no Hospital Universitário Evangélico Eduardo Costa observa que os estudantes que vem visitar as crianças colaboram no tratamento dos pacientes, trazendo alegria por meio das brincadeiras.

Já a técnica de enfermagem Viviane Cavalcanti aponta que o projeto representa a esperança de melhora para os pacientes que passam por um momento tão difícil. Assim como Indianara Souza, mãe de Luiza, que apoia a ação, pois, é um momento de diversão e distração para as crianças: “Acho bem importante, é uma distração para nós e para as crianças. Estamos na espera para sermos atendidas e o tempo acabou passando mais rápido” comenta Indianara.

Quem também acha imporante o exemplo dos doutores da alegria é a médica Tatiana Medeiros Neder. Ela afirma que é ótimo para os pacientes, afinal, aumenta a energia para se encarar os tratamentos. Tatiana, entretanto, defende um controle da entrada de pessoas para garantir a segurança dos hospitalizados e seus familiares, podendo o mesmo ser feito com cadastros nas portarias e checagem de documentos.

Para a estudante Vittoria Donadelli também foi muito importante, afinal, o avô passou um mês no hospital tratando um câncer. Os voluntários animavam o paciente, ao brincar com ele, tiravam o foco da doença criando esperança. Vittoria afirma que isso valia para toda a família, todos passaram a pensar positivo.

Igreja de Curitiba PIB realiza projeto com crianças

A primeira Igreja Batista de Curitiba realiza o projeto Ministério da risoterapia há 4 anos, atendendo crianças que estão nos hospitais Erasto Gaertner, Hospital do Trabalhador, Hospital de Clinicas e no Hospital Evangélico. O projeto também atende lar de idosos.

As visitas são feitas a cada sábado do mês em um hospital diferente e, algumas vezes também ocorrem durante a semana. O projeto conta com a participação de 62 pessoas e também utiliza o palhaço como personagem para levar alegria aos pacientes.

Para Ana Amorim, 18 anos, participar da ação é algo gratificante pois ajuda crianças que passam por um período de ansiedade e aflição. “O projeto é uma maneira de trazer mais leveza a vida destas pessoas”, diz a estudante. O público abrange desde crianças, homens, mulheres e idosos.

Medinfância promove alegria a crianças

O projeto Medinfância com amor e alegria surgiu desde agosto do ano passado, atendendo crianças no ambulatório de hematologia pediátrica Menino Jesus de Praga e no Hospital de Clínicas da UFPR. As visitas acontecem quase todos os dias e contam com cerca de 70 membros.

O aluno de medicina Lucas de Matos fundou o projeto, realizando atividades de recreação por meio do serviço voluntário do HC. Após perceber o interesse de outros alunos para participar e a necessidade nos ambientes hospitalares resolveu ampliar o projeto.

Segundo ele, participar da ação é uma maneira de desenvolver valores como a empatia pelos pacientes, além de, promover uma experiencia profissional aos estudantes que participam.

As visitas acontecem em grupos de alunos, que utilizam o espaço da brinquedoteca dos hospitais para promover brincadeiras ou que vão até os quartos para as crianças que não podem sair. O principal objetivo é tirar o foco da criança do ambiente hospitalar e trazer um momento de felicidade.

Centro de Ação Voluntária

O Centro de Ação Voluntária realizará uma palestra com o tema “O que é ser voluntário”, que conta com a participação dos membros da associação. O evento acontecerá no dia 30 de outubro às 14h no CAV, assim como no dia 6 de novembro na biblioteca pública. O objetivo é orientar aqueles que têm interesse em participar de ações voluntárias que acontecem em vários locais de Curitiba, como no hospital Erasto Gaertner. A palestra tem um custo de R$5,00 e no final, o participante recebe uma carteirinha de voluntário. Mais informações no site www.cav.com.br.

 

Deixe um comentário