Roberto Requião, candidato do PMDB ao governo do Paraná
“Quero pôr essa bagunça em ordem”, afirma Requião

Candidato ao governo do Paraná pelo PMDB faz duras criticas ao governo de Beto Richa em sabatina da Rede Mercosul

Por Matheus Urbano

Nesta segunda-feira (25), a Rede Mercosul – Record News Paraná continuou com sua série de sabatinas aos candidatos ao governo do Paraná. O convidado dessa vez foi Roberto Requião, atual senador do estado e candidato pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Roberto Requião, candidato do PMDB ao governo do Paraná

Roberto Requião, candidato do PMDB ao governo do Paraná

Requião, que já foi governador por três vezes, fez duras criticas à atual gestão do candidato a reeleição Beto Richa, do PSDB, que convidou o partido de Requião para fazer parte da coligação Todos Pelo Paraná, do candidato tucano. “A gente tem que utilizar o conhecimento e experiência pra consertar o errado. O Paraná está uma bagunça, praticamente sem governo, o atual governador pensava que comprando o PMDB, adquirindo o partido, ele derrotaria com facilidade o PT, que está numa situação difícil hoje”.

No entanto, quando perguntado qual seria a grande novidade na volta da “era Requião”, o candidato afirma que a grande novidade está na organização: “a grande novidade é a gestão e planejamento. Depois que saí do governo, o Paraná foi distribuído entre líderes políticos da assembleia, entupiram o estado com cargos em comissão”, disse.

Conhecido por sua postura “briguenta”, o próprio candidato é “paz e amor, com interesses públicos” em suas próprias palavras. “Não diria que sou belicoso, mas eu entro na política pra fazer a diferença em relação aos acomodados. Aos que acham que tudo isso é normal”.

Em relação a uma de suas falas mais famosas sobre pedágio, disse que vai lutar para baixar a tarifa. “Eles vão ter um governador brigando pela tarifa baixa de pedágio, esse pedágio é o mais caro do mundo, não tem sentido isso”.

Sua fala final foi justamente um ataque à atual gestão de Beto Richa: “nós precisamos de uma mudança no Paraná e é por isso que estou na parada. Agora a decisão do povo é na urna, eu estou disposto a pôr o Paraná em ordem”, finalizou.

Fechado para comentários.