bm_2209_0008
Rafael Greca e Ademar Pereira mostram estilos diferentes em sabatina da PUCPR

Para Greca, a prioridade é a saúde; para Pereira, o foco deve estar na educação

Por Beatriz Mira / Fotos: Angélica Klisievicz Lubas e Renata Martins

A quarta noite de sabatina na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)  trouxe os candidatos Rafael Greca (PMN) e Ademar Pereira (PROS), na noite desta quinta-feira (22). O evento foi mediado pela professora da PUCPR Suyanne Tolentino e também contou com a presença do jornalista do Bem Paraná Rodolfo Kowalski e do estudante de jornalismo da PUCPR Luiz Renato Mourão.

Reveja a sabatina com Ney Leprevost
Reveja a sabatina com Xênia Mello
Reveja a sabatina com Gustavo Fruet
Reveja a sabatina com Afonso Rangel
Reveja a sabatina com Requião Filho
Reveja a sabatina com Tadeu Veneri
Reveja a sabatina com Rafael Greca
Reveja a sabatina com Ademar Pereira
Abertura de sabatinas debate de transporte a defesa de minorias
Candidatos de esquerda falam sobre propostas em sabatina da PUCPR
Candidatos apresentam propostas e criticam adversários em nova rodada de sabatina
– Veja fotos das sabatinas

Primeiro candidato a ser sabatinado, Rafael Greca destacou que a a principal proposta é devolver aos curitibanos o orgulho de fazer parte da cidade. Além disso, também mencionou que pretende dar mais atenção à região metropolitana e melhorar a eficiência do serviço público.

Greca comentou que não se importa com partidos, e que seu dever é apenas com Curitiba. O apoio dos partidos PSB e PSDB, para ele, serve apenas para conseguir mais tempo de televisão, além de dar o suporte técnico que a cidade precisa. “Sou a expressão da curitibanidade”, afirmou.

O candidato afirmou que a prioridade absoluta é recompor a qualidade da saúde curitibana. “Vamos gastar menos, fazendo um pouco de cada vez”, disse Greca. O ex-prefeito comentou sobre a possibilidade de criar o que chama de “Univercidade do Professor”: um curso de pedagogia para capacitar e treinar os professores da rede municipal.

“Vou investir na educação cultural e também na formação de plateia. Quero encher os eventos culturais com estudantes”, comentou. Segundo ele, a escola deve ensinar apenas a ler, escrever e contar, e a criança irá aprender a refletir sozinha no futuro. Para Greca, o ensino primário deve ser inocente, e não deve trazer questões de gênero nem ideológicas.

Sobre a questão LGBT e direitos da mulher, Greca declarou que sua gestão foi um laboratório para tudo que viria a acontecer no Brasil no futuro. “Fomos pioneiros em programas de violência contra a mulher, muito antes da Lei Maria da Penha ou da Casa da Mulher Brasileira”, afirmou.

O engenheiro afirmou que pretende trabalhar em conjunto com as universidades curitibanas, para detalhes técnicos de planejamento. Prometeu melhorar o transporte para aqueles com deficiência física, além de deixar os convênios mais generosos, especialmente para os idosos. Ele também afirmou que irá investir em uma rede de proteção animal, abrindo um ambulatório com veterinários municipais e parcerias com universidades.

Greca propõe inclusão digital para todos

Inclusão digital e uma cidade mais “plugada” também foram pontos importantes do discurso do ex-prefeito. Para o ex-prefeito, “a tecnologia só vale quando atinge todo o processo social. Democracia e colocar a internet na favela”. Ele também reconheceu o Uber como moderno, democrático e eficiente. O candidato pretende regular o aplicativo, enquanto protege os taxistas.

 

Ademar Pereira destaca projeto para educação

Já o segundo candidato da noite, Ademar Pereira (Pros), trouxe como proposta principal melhorias na educação. O professor defendeu que a educação é a base de todas as questões da sociedade. Ele apresentou três propostas para o setor: dar autonomia aos professores, acabar com o ciclo do básico e aumentar a autoridade dos diretores de escolas públicas.

Pereira também mencionou a vontade de terceirizar as creches. Para ele, existe uma enorme doutrinação de esquerda nas principais universidades, fazendo com que, por exemplo, a defesa de um doutorado com ideais de direita seja impossível.

O candidato também afirmou que mais importante que a estrutura das escolas é a mentalidade dos alunos, que não querem estudar. “Um bom professor pode ensinar uma criança a ler embaixo de uma árvore; não precisa de sala de aula. A estrutura é importante, mas não determinante”, declarou o professor.

Ele caracterizou a coleta de lixo na cidade como trabalho escravo. Pereira afirmou que existem cinco planos bio-sustentáveis na sua proposta, e que a questão do lixo deve ser uma prioridade. Para tornar estes planos viáveis, o candidato pretende fazer uso de parcerias com o setor privado.

O candidato declarou que a qualidade dos serviços da cidade é muito ruim, em todos os sentidos. “Meu plano é atender ao usuário que paga o imposto”, afirmou. Se for eleito, pretende criar um sistema de vans executivas e um aplicativo para táxis. Segundo ele, quem “paga a conta” do transporte é o usuário, pois a prefeitura contribui com apenas 9%.

De acordo com Pereira, muitos que fazem uso do transporte público acabam viajando por muito mais tempo do que precisam pois não querem pagar mais de uma passagem. “Bilhete único faz parte da nossa proposta. Assim o usuário pode usar da forma mais interessante para ele, e não como o sistema manda”, comentou.

O professor também mencionou a criação de subprefeituras para atender mulheres vítimas de violência doméstica, e destacou que eficácia na gestão é o traz agilidade no atendimento da saúde pública.

Fechado para comentários.