Saiba como ficar imune a fraudes na Black Friday deste ano

Apesar da crise, expectativa pela promoção mexe com vendedores e consumidores

Por Lívia Mattos, Marseille Marés e Guilherme Novakoski

pp_black01

Foto: Paulo Pinto | Fotos Públicas

A Black Friday, sexta-feira “negra”, acontece sempre na última sexta-feira de novembro. Neste ano, o evento cai no dia 27 e o público deve ficar atento à possíveis fraudes e saber aproveitar as oportunidades disponíveis no maior dia de descontos do ano.

Ao contrário dos norte-americanos, pioneiros do evento, o Brasil tem dedicado a Black Friday para as compras online, porém não são todos os consumidores que aprovam essa ideia. Juliana de Souza, advogada, comenta “Eu vejo que essas promoções acontecem mais nas lojas online e é uma pena. Para roupas, por exemplo, eu prefiro ir à loja física e poder experimentar; o risco de eu não gostar é grande e nem sempre dá pra trocar”.

Além de não poder trocar certos produtos, outra reclamação dos clientes é a falta de fiscalização ou “propaganda enganosa”. “Não são todas as empresas que trabalham certo com essas promoções. Por vezes, os vendedores aumentam os preços semanas antes, para daí na sexta-feira baixarem pela “falsa metade”. Isso engana muita gente, mas é jogo sujo”, explica Marcos Ferreira, lojista.

Dicas para não cair em fraudes

  • Ter atenção redobrada no momento de comprar online é fundamental para não ser enganado. A primeira dica é dar preferência a lojas maiores e já conhecidas por compras anteriores.
  • Evitar sites desconhecidos ou com procedência duvidosa. Uma boa tática é pesquisar reclamações de consumidores no site Reclame Aqui, conhecido por fazer uma ponte entre empresas e consumidores, e o site governamental Consumidor, que tem o mesmo objetivo e pertence ao governo federal.
  • O Procon-SP tem uma lista de sites a serem evitados devido a um histórico ruim em atendimento ao consumidor e veracidade nas vendas, que é atualizado com frequência.
  • Desconfiar de preços “milagrosos” é uma boa forma de evitar engano. Os descontos existem, mas é preciso não ser muito ingênuo.
  • Em caso de problemas com as compras, é aconselhável conversar com a loja. Caso o problema não seja resolvido, procure o Procon ou defesa do consumidor de sua cidade.
 As vantagens da Black Friday em meio à crise
Assim como nos EUA, a Black Friday é uma campanha feita por várias lojas que trazem descontos de até 80% em produtos de todas as categorias, como smartphones, notebooks, eletrodomésticos, TVs, roupas, calçados, livros, entre outros.
Uma das principais vantagens da Black Friday é aproveitar os altos descontos e fazer antecipadamente as compras de Natal. “Estou esperando bastante pela Black Friday. Quero comprar várias coisas: quero trocar meu celular e aproveitar pra renovar meu armário. Tem ótimos descontos”, comenta a estudante Caroline Ribeiro.

Um dos principais objetivos da Black Friday é aproveitar as vendas para dar um upgrade na economia. Neste ano, os lojistas e os sites têm grandes expectativas para alavancar as vendas, principalmente lembrando-se da crise que tomou o país nesses últimos meses. Larissa Camargo, vendedora na Livrarias Curitiba, defende a promoção: “A Black Friday é uma ação feita para essa época do ano, com uma ótima oportunidade pra vendas aqui na livraria, não só para os livros, mas para os eletrônicos também, uma estratégia de vendas, um atrativo a mais.”

Além da economia, outro atrativo no caso da compra online na Sexta-feira Negra é o consumidor não ter que passar pelo estresse e cansaço de comprar nas lojas físicas, que costumam ficar tumultuadas nesta data.

Para os varejistas, é o momento de esvaziar os estoques para receber os produtos para as vendas de Natal. Já para os consumidores, é uma ótima oportunidade para economizar no fim de ano.

 

Fechado para comentários.