Saiba como identificar os sintomas da depressão

Mal atinge mais de 350 milhões pessoas de diferentes idades e gêneros

Por Renata Souza

A depressão é uma doença que afeta mais de 350 milhões de pessoas de diferentes idades e gêneros, segundo a Organização Mundial da Saúde, e, assim como outros transtornos psicológicos, possui causas biopsicossociais. Casos de surto de depressão, como o que atingiu recentemente o jornalista Ricardo Boechat, podem ser identificados por uma série de sintomas.

É isso que explica a psicóloga clínica e mestranda em psicologia Ilana Cavichiolo. “Alguns dos fatores que podem desencadear uma depressão são pré-disposição genética, questões hormonais, a capacidade de a pessoa enfrentar eventos traumáticos e recursos de enfrentamento, como religiosidade, por exemplo”.

Erroneamente, quem apresenta a doença costuma achar que ela desaparecerá por conta própria, ou acredita que a apatia e o mal-estar permanente fazem parte da própria personalidade. Portanto, segundo Ilana, se você apresentar ao menos um dos sinais a seguir e considerar que o fato tem atrapalhado o dia a dia, o melhor a fazer é procurar um profissional de saúde mental.

 

1.Perda de prazer repentina

A falta de interesse em praticar atividades que antes eram importantes pode ser um sinal da doença. Um indivíduo com depressão talvez não se sinta mais atraído por atividades que adorava no passado, pois a doença acaba dificultando o sentimento de prazer do paciente. “Sem nenhuma explicação óbvia, já não sentia mais vontade de ir às aulas de piano, que antes eram uma paixão para mim. Tudo parecia sem graça e meus dias, que, até então, eram coloridos pareciam que tinham ficado preto e branco”, contou I.S., jovem que preferiu não se identificar, mas sofreu com a doença durante dois anos.

 

2. Falta de apetite

Alimentar-se não é apenas uma forma de reposição de energia, pois também é considerado por especialistas um ato de prazer. Quem entra em um quadro depressivo, muitas vezes, deixa de sentir esse prazer, o que afeta diretamente a vontade de comer.

A psicóloga afirma que esta incapacidade de sentir prazer é bastante comum em casos típicos de depressão. “Por a falta de prazer ser algo característico da pessoa em depressão, é normal que ela não se sinta motivada a se alimentar ou a fazer nada daquilo que fazia anteriormente”, explica.

 

3. Alterações de sono

Sono excessivo e  insônia podem ser fatores indicativos da depressão. Mudanças nos horários de dormir podem ser um gatilho para a depressão, pois, enquanto dormimos, o corpo libera hormônios e nossas atividades cerebrais sofrem alteração. Portanto, interromper este ciclo pode ser perigoso.  “Alterações de sono como insônia e hipersônia são muito comuns e é necessário que o indivíduo fique atento. Se isso começar a atrapalhar sua vida social ou laboral, é hora de pedir ajuda”, aconselha Ilana.

 

Mal também afetou o jornalista Ricardo Boechat 

Ricardo Boechat, jornalista e âncora da Band TV e da Rádio Band News, há cerca de um mês ficou afastado do trabalho e, ao voltar, explicou aos ouvintes, por meio de um relato no Facebook, que o sumiço foi motivado por um surto depressivo agudo. “Minutos antes de começar o programa de rádio simplesmente sofri um colapso, um apagão aqui no estúdio. Nada na minha cabeça fazia sentido. Nenhum texto era compreensível. Os pensamentos não fechavam e uma pressão insuportável dava a sensação de que o peito ia explodir”, escreveu o jornalista.

 

Fechado para comentários.