Terceira idade não significa estagnação

Por Isabel Maria dos Santos

 

Chegar à terceira idade feliz e com disposição é o que espera a maioria dos jovens e adultos de hoje. A busca por um envelhecimento sadio tem aumentado o número de adeptos à prática esportiva e de exercícios físicos. Aliada à procura por qualidade de vida, surge no mercado o interesse de novos empreendimentos especializados nesse segmento, como academias e empresas dedicadas à terceira idade.

“A prática do esporte vai além de valores estéticos. É importante ressaltar que a atividade física nessa fase da vida envolve melhorias na saúde física, no estado mental e psicológico do idoso. Isso porque as sensações de prazer e realização proporcionadas pelo esporte são capazes de combater sentimentos de tristeza e atém esmo depressão, sem contar na qualidade de vida”, diz o especialista em geriatria, Kleber Xavier.

DISPOSIÇÃO

Maria Cecília Martins de Scoville, é exemplo de que saúde, exercícios físicos e bem estar podem aliar-se de forma eficaz contra doenças provenientes do envelhecimento. A aposentada tem 76 anos e pratica musculação há 20. “Faço porque gosto. Desde sempre fiz hidroginástica e também exercícios locais.” Cecília não frequenta apenas as aulas na academia. Antes de começar a série de musculação ela faz exercícios aeróbicos no parque. “Pequenas caminhadas e alongamentos pela manhã dão ânimo e ajudam no desempenho”, diz a aposentada.

TÉCNICA

Antônio Fadel Filho, educador físico e treinador de Maria Cecília explica como funciona a rotina de treinamentos. “A procura da terceira idade na academia é maior a cada ano. Fazemos atividades que desenvolvem a coordenação motora, fortalecimento muscular e que estimulem o equilíbrio. Adaptamos os exercícios ás limitações de cada um, o importante é não ficar parado”, finaliza o treinador.

 

Fechado para comentários.