Diretora Catherine Breillat. Foto: Flach Film.
Crítica: “Uma Relação Delicada” traz dificuldades de uma vida pós-hemorragia cerebral

Filme da diretora Catherine Breillat foi exibido hoje (11) no Festival Varilux de Cinema Francês 2014

Monique Benoski

O filme Uma Relação Delicada, de nome original Abus de Faiblesse, é um drama que conta a história de Maud, uma cineasta vítima de hemorragia cerebral, e os empecilhos da sua vida a partir do acidente. A personagem, interpretada pela atriz Isabelle Huppert, conhece Vilko, interpretado por Kool Shen, um vigarista que passou 12 anos na cadeia, porém, continua mau caráter, e, decidida a concluir seu filme, convida-o para ser o ator principal.

A diretora Catherine Breillat, também escritora e professora de Auteur Cinema, nasceu na França em julho de 1948 e, muitas vezes, criou polêmicas com seus trabalhos por conterem temas sexuais. Por exemplo, seu filme de estreia Une Vraie Jeune Fille (A Real Young Girl), de 1976, foi censurado até 1999. Breillat já dirigiu mais de 10 filmes em quase 40 anos de carreira.

Diretora Catherine Breillat. Foto: Flach Film.

Diretora Catherine Breillat. Foto: Flach Film.

Em Uma Relação Delicada, as personagens trocam energias num jogo de cumplicidade não tão honesto no que diz respeito à Vilko. O bandido é seduzido pela riqueza da cineasta ao mesmo tempo em que a seduz mostrando carinho e ganhando sua confiança. Na medida em que os laços de amizade se fortalecem, Vilko começa a pedir muito dinheiro emprestado deixando a mulher sem nada e com falsas esperanças de receber tudo de volta um dia.

No que diz respeito às escolhas da diretora o resultado satisfaz as expectativas. Os cenários carregam tons pastéis e detalhes não muito chamativos assegurando ainda mais o clima hospitalar que permanece durante todo o filme. A sonoplastia contribui muito para o tom dramático da obra cinematográfica.

A interpretação dos atores também é maravilhosa, Isabelle Huppert demonstra o sofrimento físico da personagem com uma riqueza de detalhes extremamente convincentes. Em certo momento, Maud tenta abrir os dedos de sua mão esquerda, paralisados devido à hemiplegia adquirida após a hemorragia, e seu esforço é tão grande que assusta todos os telespectadores. A facilidade com que Vilko se aproveita das leves sequelas mentais da senhora é repugnante.

O desfecho afirma o arrependimento da protagonista por ter se deixado envolver por Vilko. Catherine Breillat consegue mostrar, mesmo sem nenhum contato físico, o envolvimento fortíssimo entre as duas personagens principais.  O filme será exibido ainda segunda-feira (14), às 22:00, no Espaço Itaú de Cinema Curitiba (Shopping Crystal) e quarta-feira (16), às 21:35, no UCI Estação (Shopping Estação).

Confira o trailler da obra

:[vsw id=”FGUcmBuIQ2o” source=”youtube” width=”425″ height=”344″ autoplay=”no”]

Fechado para comentários.