Veteranos esbanjam vitalidade

Ex-jogadores continuam em plena atividade física

Pedro Melo

Mesmo após a aposentadoria do futebol profissional, muitos ex-jogadores continuam em plena atividade, mostrando que ainda tem condições de continuarem a jogar todo o final de semana em um dos principais torneios de veteranos, o Campeonato dos Cinquentinhas.

Zezitos é um dos clubes que se destaca nos Cinquentinhas Foto: Pedro Melo

Zezitos é um dos clubes que se destaca nos Cinquentinhas
Foto: Pedro Melo

Os atletas conseguem manter um bom preparo físico e a dica dada por eles é nunca parar. “Eu nunca parei de jogar, estou sempre jogando futebol, malhando, andando, e todo sábado estamos jogando o campeonato”, conta Heraldo, zagueiro campeão brasileiro pelo Coritiba em 1985.

Marcos Benatto, que atuou em Atlético, Paraná e finalizou a carreira no México, também joga pensando em manter uma boa saúde. “Procuro ainda manter a situação de treinamento, pouco de corrida na semana e quando o corpo permite fazer jogos todos os finais de semana, a gente está jogando, principalmente pela saúde”.

Amizade

O torneio dos Cinquentinhas também é um ótimo momento para os ex-jogadores se encontrarem e relembrarem dos grandes momentos de quando jogaram profissionalmente.

“O legal também é reencontrar amigos que você fica 10, 15 anos sem encontrar. Alguns foram mais rivais do que companheiros, mas agora tem uma amizade com o pessoal”, relata Benatto.

Já Heraldo conta que após a partida todos são amigos e sempre lembram histórias do passado. “É uma oportunidade de nós confraternizarmos com os amigos, não só da nossa própria equipe, como a equipe adversária. Acabam os jogos, nós ficamos conversando, relembrando o passado. É muito prazeroso”.

O campeonato

O Campeonato dos Cinquentinhas é organizado pela APE (Associação Paranaense dos Esportes), atualmente conta com 26 times e os jogos são disputados todo sábado pela manhã.

Além de Heraldo e Marcos Benatto, outros que disputam o campeonato são Ribamar, campeão brasileiro pelo Sport em 1987, Sérgio Luis, ex-jogador do Paraná, e Tobi, que ganhou o Brasileirão de 1985 pelo Coritiba.

Cobertura da imprensa

O torneio é levado muito a sério por todos, inclusive pela imprensa. O jornalista Jorge Luiz da Silva acompanha todas as rodadas e faz a cobertura para o jornal “Tribuna do Paraná”.

Jorge conta que não tem a mesma responsabilidade do que a cobertura dos jogos profissionais, mas tudo tem que ser relatado. “Mesmo sendo uma época em que se passou o auge do futebol deles, o que acontece nos 90 minutos tem que expor na mídia”.

Equipe: Luciano Simão, Pedro Melo, Roberto Rohden e Vithor Marques.

Fechado para comentários.