Obras de Estrela Leminski, estará presente na Bienal Internacional de Curitiba. / Divulgação
Bienal chega a Curitiba

A 20ª Bienal Internacional começa no dia 31 de agosto, com exposição de obras de mais de 150 artistas

Manuella Niclewicz e Lara Pessoa

Bienal Internacional de Curitiba completa 20 anos em 2013. O evento será realizado na capital paranaense entre os dias 31 de agosto e 1º de dezembro e exibirá obras de 150 artistas dos cinco continentes. São diversos destaques nacionais, expostos em mais de 100 espaços da cidade.

O foco desse ano será nas artes urbanas e nas performances artísticas, com ações que não se restringem aos museus e galerias de arte, mas que ganham também o espaço urbano, oferecendo um contato direto e imediato com a comunidade.

Nesta edição, os curadores não optaram por um único tema e título para o evento. “Este ano, a Bienal envolverá toda a cidade, provocando as pessoas de um jeito diferente”, afirma o diretor-geral da Bienal, Luiz Ernesto Meyer Pereira.

A diretora do  Museu Oscar Niemeyer (MON), Estela Sandrini, não esconde expectativas com relação ao evento. “Uma iniciativa desse  porte é uma oportunidade única para conhecer o que há de melhor na arte contemporânea mundial!”. Sandrini também está muito feliz, pois a tendência com a realização e divulgação deste tipo de proposta na capital é que o interesse do público curitibano pela cultura só aumente. “Não apenas o MON, mas outros espaços na cidade possuem equipes qualificadas e salas preparadas para receber grandes eventos”, afirma.

A Bienal ocupará quatro salas expositivas do MON, que ainda estão em processo de montagem para a abertura da exposição que será no dia 31 de agosto, às 17 horas, no Pátio das Esculturas do museu.

A  escritora Bárbara Lia é uma das artistas selecionadas para fazer parte do evento. Participante de primeira viagem, ela demonstra sua emoção e diz que a expectativa é grande. Além de relatar que se sente imensamente feliz ao ver que a poesia ocupou um espaço significativo na Bienal de Artes, Bárbara promete que “as palavras dos poetas da cidade irão embalar os habitantes”. Apaixonada por Curitiba, diz que “a capital paranaense é uma cidade banhada em possibilidades estéticas de beleza artística e cultural, quase sem parâmetros”.

Bárbara Lia está na expectativa de ver suas poesias expostas na Bienal Internacional de Curitiba.
Foto: Arquivo Pessoal – Bárbara Lia

A felicidade de Estrela Leminski, filha do renomado poeta paranaense Paulo Leminksi, ao saber que iria ter suas obras espalhadas pela cidade foi enorme. Com apenas 32 anos, a poeta se surpreendeu ao ser escolhida justamente por ser mais nova que outros artistas. Quanto à questão cultural, Estrela acredita que “a cidade sempre incentivou de uma forma importante para os Curitibanos e isso fez com que até outros se mudassem para a cidade”. A artista diz estar animada para ver a interlocução de uma cena voltada para poéticas.

Obras de Estrela Leminski, estará presente na Bienal Internacional de Curitiba.
Foto: Arquivo Pessoal – Estrela Leminski 

Com a finalidade de prolongar e reforçar os efeitos da Bienal na rede pública de ensino, será realizado um projeto de ação educativa. O projeto contará com atividades de formação de professores e estudantes, palestras e mesas redondas abertas ao público e programas de visitação com agendamento de visitas mediadas de grupos escolares.

No final do evento, será publicado um material educativo impactando professores, alunos e toda a comunidade em geral, e todas as bibliotecas escolares do Paraná receberão essa publicação.

 

Equipe: Gabriela Fialho, Gabriela Kuzma, Lara Pessoa e Manuella Niclewicz

Fechado para comentários.