Belloto conta que o biclicletário dá mais dignidade ao usuário. (Foto: Vitor Cruz)
Campanha voto livre quer implantar lei da bicicleta em Curitiba

Os objetivos são: maior inclusão da bicicleta e infraestrutura para os ciclistas

Vitor Cruz

Belloto conta que o biclicletário dá mais dignidade ao usuário. (Foto: Vitor Cruz)

Belloto conta que o biclicletário dá mais dignidade ao usuário. (Foto: Vitor Cruz)

Encaminhado na última semana de outubro para a Câmara Municipal de Curitiba, um projeto de lei de iniciativa popular reuniu pouco mais de 14 mil assinaturas eletrônicas de eleitores da capital paranaense. Embora o número de votos não seja suficiente, que são por volta de 60 mil firmas, a Câmara acolheu o projeto. O objetivo principal é propor medidas de inclusão da bicicleta no circuito de trânsito e garantir, por meio da lei, infraestrutra para os ciclistas.

Segundo o vereador Jorge Bernardi (PDT),  o projeto vai ser analisado. “Vamos fazer audiências públicas, aperfeiçoa-lo, porque esse é o tema do momento, ou seja, a mobilidade”. Ele ainda relata que “as cidades têm que se preparar, dar condições para isso, porque hoje é um perigo você andar de bicicleta com esse trânsito maluco, eu mesmo não tenho coragem; aliás, nem tenho bicicleta aqui em Curitiba”.

Em um dos artigos da ‘Lei da Bicicleta’ consta, a destinação de 5% das faixas de trânsito para a construção de ciclo-faixas e ciclovias, interligando o centro da cidade e integrando ao transporte coletivo. A lei também visa a instalação de bicicletários, a promoção de campanhas sobre a cultura do uso da bicicleta e a disponíbilização de bicicletas de aluguel em Curitiba.

José Belloto, psicólogo do trânsito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) “a cidade só vai funcionar melhor se existirem vários modais de transporte, afinal a quantidade de carros que está circulando pela cidade está matando a principal função do carro, a eficiência”.

Belloto ainda comenta a atitude da implantação de um bicicletário no shopping Pátio Batel. “A bicicleta é tão fantástica que ela facilmente  se adapta em qualquer lugar, se você se apertar, você pode amarrar ela em um poste, mas a presença de um bicicletário dá mais dignidade ao usuário”. Se aprovada pelos vereadores, a lei segue para o prefeito e após ser sancionada é estipulado um prazo para que ela entre em vigor.

 

Equipe: Caio Liberal e Vitor Cruz

Fechado para comentários.