11
Candidatos de esquerda falam sobre propostas em sabatina da PUCPR

Requião Filho e Tadeu Veneri foram sabatinados por professores e estudantes

Por Patrícia Munhoz e Henrique de Castro Pereira / Fotos: Beatriz Mira e Vanessa Bley

A semana da sabatina da PUCPR com os candidatos à Prefeitura de Curitiba seguiu nesta quarta-feira (21/09) com os candidatos Requião Filho (PMDB) e Tadeu Veneri (PT). Como mediadora, esteve a professora e jornalista Criselli Montipó, juntamente com o jornalista do Bem Paraná José Marcos Lopes e o estudante de jornalismo da PUCPR José Luiz Moreira.

Reveja a sabatina com Ney Leprevost
Reveja a sabatina com Xênia Mello
Reveja a sabatina com Gustavo Fruet
Reveja a sabatina com Afonso Rangel
Reveja a sabatina com Requião Filho
Reveja a sabatina com Tadeu Veneri
Reveja a sabatina com Rafael Greca
Reveja a sabatina com Ademar Pereira
Abertura de sabatinas debate de transporte a defesa de minorias
Candidatos apresentam propostas e criticam adversários em nova rodada de sabatina
– Veja fotos das sabatinas

Requião Filho falou que a principal meta é o saneamento da máquina pública, em que deve se diminuir os gastos. Ele apontou como maior problema a abundância de cargos comissionados, que causa um gasto de R$ 30 milhões.

A plateia questionou o fato de ele ser filho de um político e seguir os passos do pai. Ele disseque pensar nisso como um problema é hipocrisia, pois os laços familiares não devem importar, se houver competência no trabalho.

Sobre o transporte público, o candidato disse acreditar que seja necessária realizar uma renovação da frota de ônibus, mesmo que isso cause brigas judiciais. Requião disse que “o risco é que os donos das empresas podem ser presos até o fim de 2016”, por causa das investigações nas licitações.

A Linha Verde é um projeto de 1970, não foi adaptada para sua execução e isso é um problema, afirmou. Para melhorar o trânsito, ele propõe uma intervenção, isto é, viadutos, passarelas e trincheiras. Também diz que o custo será menor.

Ele não pretende acabar com o Uber. Mas diz que os táxis também podem ter as mesmas ou até melhores tecnologias, além de diminuir o custo, para garantir um serviço melhor.

Requião apontou a administração do dinheiro como um problema em Curitiba. Afirmou que, em relação aos investimentos das empresas, é necessário não apenas incentivos fiscais, mas, também, ter uma cidade atrativa, com diminuição de impostos.

A cidade de Curitiba possui 200 mil desempregados, e Requião acredita que a Prefeitura deve apoiar a população e ajuda-los no mercado de trabalho. Falou da necessidade que a população tem da presença do Estado para se sentir inserida.

O candidato falou sobre as políticas públicas: ele acredita que “a Prefeitura precisa entender que os moradores de rua são pessoas, e não números”. Porém, a situação precisa da colaboração de todo o governo. Para o problema da marginalização das minorias, Requião pretende focar na educação para que todos entendam que a intolerância é inaceitável.

O serviço de saneamento básico também possui problemas, afirma. O candidato diz que “a Sanepar tem contrato com a Prefeitura, mas não as cumpre”, e acrescenta que pretende mudar isso. Outro problema com a Sanepar é que a empresa só pensa no lucro, acusa.

Na educação, ele pretende colocar convênio entre todas as escolas públicas e as universidades públicas, implementar tecnologia e habilitar profissionais para que possam utilizá-las. Ele fala que “podemos melhorar a educação em 6 meses”.

Na saúde, o candidato acredita que não há problemas graves, além da administração. Requião diz que a infraestrutura é suficiente e que “não falta profissional, mas falta gerenciamento”.

“Foi golpe”, diz candidato

Requião Filho declarou ser contra o impeachment de Dilma Rousseff. Então, foi questionado se esse posicionamento não seria um problema para trabalhar na Prefeitura, caso seja eleito. Ele afirmou que a “amizade” não deve influenciar no trabalho e acrescentou que não precisa tomar “uma cerveja com alguém do Estado” para que ambos façam seus trabalhos e cumpram obrigações profissionais.

Sabatina com Tadeu Veneri

O candidato Tadeu Veneri (PT) contou que suas principais propostas são na área de segurança pública, com a junção das forças policiais de forma mais eficaz; e regularizar as áreas de risco, com criação de uma rede de proteção para moradores de rua e levar estrutura às regiões mais pobres da cidade.

Ele falou da importância de mais inclusão dos idosos, que, “daqui a alguns anos, demandarão uma grande atenção da Prefeitura, em relação aos gastos”. Por isso, disse que as cooperativas são extremamente necessárias para fortalecer essas comunidades, por exemplo, cooperativas de alimentos.

Na educação, o candidato pretende destinar 30% do orçamento da Prefeitura, principalmente na educação infantil, e implantar mais CMEIs. Em relação às horas de trabalho dos professores, disse que deve diminuir para 30 horas semanais e, também, acredita que a população deve ter mais interação nas creches – por exemplo, poder eleger o diretor.

O candidato afirma que, para promover a cultura em Curitiba, é preciso estrutura melhor nas escolas para trabalhar música e outras artes.

Para melhorar o transporte público, Veneri afirma que “os gastos em publicidade nos ônibus devem ser revertidos para a implementação do passe livre”, já que 100% dos recursos do transporte são pagos pelos próprios usuários.

O candidato disse acreditar que o transporte coletivo deve ser subsidiado para que seja possível a criação de um bilhete único e temporal, de três horas. O candidato conta que Curitiba perdeu 8% de seus usuários em dois anos e que o lucro diminuiu de 2013 para 2016 em R$ 188 milhões, afirmando que isso é um problema.

Mesmo com a crise econômica que o Brasil vive, o candidato acredita que é possível diminuir os impostos da cidade e o que realmente importa é mais eficiência da máquina pública. Veneri diz que “PT não está em crise; é o poder político que está”.

“Curitiba precisa de uma educação ambiental”, ele afirma. O candidato conta que a cidade já foi a capital mais sustentável e que hoje é feito 5,7% de reciclagem.

Veneri pretende melhorar a saúde deixando as unidades abertas por mais tempo

Segundo o candidato, para melhorar a saúde, é necessário que as unidades fiquem mais tempo abertas, que o diagnóstico seja mais rápido – para isso, precisa de mais médicos e estrutura melhor.

Fechado para comentários.