Exposição de brinquedos antigos atrai adultos e crianças
De volta à infância

Exposição de brinquedos dos anos 80, leva adultos de volta ao passado

Caroline Paulart

Acervo ficará em exposição até o próximo domingo (20) (Foto: Gilberto Stori Junior)

Acervo ficará em exposição até o próximo domingo (20)
(Foto: Gilberto Stori Junior)

Para mostrar à geração de hoje como eram os brinquedos e vídeo games da época de seus pais, o Park Shopping Barigui, em parceria com o Museu dos Brinquedos de Minas Gerais, promove a exposição ‘Brinquedos e Brincadeiras dos Anos 80’, que teve início no dia 26 de setembro e se estende até o próximo domingo (20 de outubro), em Curitiba.

Entre os objetos expostos estão vídeo games antigos como o ‘Atari’ e brinquedos como bonecas ‘Barbie’, bonecos do ‘Alf, o ETeimoso’, e o ‘Castelo do He-Man, que trouxe lembranças ao advogado Rudnei Paes. “’Odyssey’ e ‘Castelo do He-Man’ marcaram muito a minha infância, lembro que eu brinquei muito com eles. Meus filhos nem sabiam que esses brinquedos existiam”, diz.

O 'Castelo do He-man fez parte da infância de muitos meninos da década de 80, e ainda é desejado pelos meninos de hoje (Foto: Gilberto Stori Junior)

O ‘Castelo do He-man’ fez parte da infância de muitos meninos da década de 80, e ainda é desejado pelos meninos de hoje
(Foto: Gilberto Stori Junior)

Os brinquedos fazem parte do acervo do ‘Museu dos Brinquedos’, que fica na cidade de Belo Horizonte – MG, constituído por aproximadamente 5 mil itens, datados desde 1890, além de 800 exemplares internacionais. Para a exposição foram trazidos mais de 120 exemplares que estão expostos em 16 vitrines, alguns contam com painéis explicativos com informações e curiosidades sobre personagens que marcaram a década de 1980.

Apesar dos brinquedos não utilizarem a mesma tecnologia de hoje, ainda fizeram sucesso com as crianças que estavam no local. João Gabriel Muniz Ribas, 10 anos, contou que seu pai possuí um ferrorama em casa e mostrou interesse por outros brinquedos da época. “Meu pai tem guardado em casa o ferrorama, tem até a caixa. Eu gostei do ‘LEGO’, mas de todos os brinquedos eu gostaria de ter o ‘Castelo do He-man’”, declara.

Museu dos Brinquedos

O ‘Museu dos Brinquedos’ foi idealizado por Luiza de Azevedo Meyer, que o coordenou entre 1986 e 1999, quando ainda funcionava informalmente, como conta a supervisora da exposição e administradora do museu, Nayara Aline de Souza. “O museu funcionava na casa de Luiza de maneira informal. Em 2006, seis anos após seu falecimento, foi fundado o Instituto Cultural Luiza de Azevedo Meyer, em sua homenagem, juntamente com o museu”, relata.

A idealizadora do museu começou colecionando bonecas em 1915 (Foto: Caroline Paulart)

A idealizadora do museu começou colecionando bonecas em 1915
(Foto: Caroline Paulart)

Para a constituição do acervo, são utilizados brinquedos que pertenciam à Luiza e também provenientes de doações. “A idealizadora começou colecionando sua boneca de infância, de 1915, e reuniu com os brinquedos dos filhos, netos, até a geração de hoje, que por acaso são os mais difíceis de ser encontrados. Recebemos doações, todos os brinquedos já pertenceram a crianças. Eles são selecionados, limpos,  raras exceções reformados e vão para o acervo”, conta a supervisora.

A geração do vídeo game

A exposição conta também com uma área digital chamada ‘Ilha Interativa’, onde há quatro vídeo games: ‘Atari’, ‘Tele Jogo’, ‘Master System’ e ‘Super Nintendo’, com a possibilidade de serem jogados por pessoas de todas as idades.

Crianças aproveitam para experimentar vídeo games da geração de seus pais (Foto: Gilberto Stori Junior)

Crianças aproveitam para experimentar vídeo games da geração de seus pais
(Foto: Gilberto Stori Junior)

Segundo Gearo Leon, responsável pelos jogos eletrônicos, as crianças que testaram os vídeo games antigos encontraram dificuldade para manusear os controles. “O jogo fica complicado para crianças que estão acostumadas com controles dos vídeo games atuais. Muitas vezes eles pegam os controles de ponta cabeça”, descreve.

Equipe: Bruna Martins, Caroline Paulart e Gilberto Stori Junior

Fechado para comentários.