O grupo de "hacktivisitas" Anonymous vem crescendo no Brasil, organizando diversos protestos desde as manifestações de junho
Foto: Reprodução/Facebook
Feriado de 7 de setembro pode ser marcado por protestos

Cidades em todo o país organizam atos simultâneos. Em Curitiba, mais de três mil confirmam presença

Luciano Simão

Mais um protesto deve ocorrer em Curitiba neste sábado (7). Trata-se de uma manifestação a nível nacional organizada pelo coletivo de “hacktivistas” Anonymous, programada para coincidir com as comemorações do dia da independência. Os manifestantes se reunirão na Praça Santos Andrade às 8h30. Por volta das 9h30, partirão rumo à Avenida Cândido de Abreu, onde ocorre habitualmente o desfile militar da capital.

O grupo de "hacktivisitas" Anonymous vem crescendo no Brasil, organizando diversos protestos desde as manifestações de junho Foto: Reprodução/Facebook

O grupo de “hacktivisitas” Anonymous vem crescendo no Brasil, organizando diversos protestos desde as manifestações de junho
Foto: Reprodução/Facebook

O evento, chamado “Operação 7 de Setembro”, é uma tentativa de dar continuidade às manifestações de junho deste ano quando mais de dez mil pessoas foram às ruas da cidade para protestar e demonstrar indignação generalizada com o cenário político atual. Desde então, embora outros protestos tenham ocorrido em Curitiba, não houve nenhum da mesma magnitude.

Quanto a possíveis represálias policiais, um dos organizadores do protesto, conhecido apenas como Alex DeLarge (personagem do filme Laranja Mecânica) no Facebook, afirma que “pode haver, sim, mas temos em nosso favor as mídias e milhares de pessoas que estarão presentes caso aconteça qualquer abuso”.

Na página oficial do evento na rede social, foram especificadas quatro pautas principais, dentre elas o fim do voto obrigatório e diversas medidas de boicote à Copa do Mundo de 2014.

Haverá também protestos simultâneos em diversas cidades do estado, como Londrina e Guarapuava, e em várias capitais do país. O ato em Curitiba já conta com a adesão de três mil pessoas na rede social, enquanto a versão nacional da página já tem mais de 300 mil confirmados.

Após o feriado, Alex informa que o Anonymous de Curitiba pretende dar continuidade às ações: “Dependendo do número de pessoas presentes, pretendemos já deixar marcado outra manifestação para dali uma semana, mais ou menos. Caso o número de pessoas seja insatisfatório, nós passaremos a “apostar” em outros tipos de atos e intervenções, e não protestos propriamente ditos, coisas que chamem atenção sem necessitar de um grande número de pessoas envolvidas”.

Reivindicações

Na página oficial do evento no Facebook, há um manifesto detalhando as quatro principais pautas a serem debatidas, evitando assim as críticas feitas a protestos anteriores, acusados de não apresentar reivindicações concretas.

A primeira delas é o pedido do arquivamento imediato do PLS 728/2011, projeto de lei do Senado que, de acordo com os organizadores, visa criminalizar eventos populares e dificultar a ação de grupos militantes como o próprio Anonymous.

A segunda pede o fim do voto obrigatório, enquanto a terceira incentiva o boicote à Copa, além da investigação dos gastos e o cancelamento de quaisquer investimentos além daqueles já previstos.

Finalmente, há a demanda pelo fim dos monopólios, tanto econômicos quanto políticos. Estes envolvem, de acordo com o grupo, empresas e famílias tradicionais do Paraná com influência poderosa e nociva sobre as decisões políticas no estado.

Equipe: RobertoRohden; Luciano Simão; Pedro Melo e Vithor Marques.

Fechado para comentários.