Cerveja artesanal se torna opção promissora de mercado em Curitiba

Cervejas especiais conquistam público da capital paranaensePor Bernardo Vasques, Gabriel Witiuk e Pedro Freitas

O mercado das cervejas artesanais está em grande ascensão no Brasil. O último levantamento da Receita Federal, realizado em maio de 2015, constatou que no Brasil existem 242 microcervejarias, número que, segundo projeções da Receita, pode chegar a 2,5 mil nos próximos 20 anos. A produção anual alcança os 10 milhões de hectolitros e o faturamento chega a R$ 2 bilhões, o que representa 2,5% do ganho total da venda de cerveja no país.

Curitiba é uma das principais representantes do mercado de cervejas artesanais no Brasil. Cervejarias como Way Beer, Bodebrown e Gauden Bier ganharam notoriedade nos últimos anos, tendo inclusive concorrido a prêmios internacionais de cerveja.

Produzir uma cerveja artesanal é mais difícil do que produzir as convencionais, as mais populares do mercado. Proprietário da cervejaria Gauden Bier, Luciano Reis explica que as máquinas utilizadas são mais caras devido à produção mais baixa do produto, além de que a matéria prima, como o lúpulo e o malte, também tem um preço elevado por ser importada, normalmente dos Estados Unidos. Com isso, a tributação fica elevada.

Mesmo assim, para Reis, as vantagens da cerveja artesanal compensam os problemas enfrentados, pois a qualidade do produto final, a logística rápida e o contato direto com os compradores proporcionam um público bastante fiel, e, consequentemente, garantia de renda. “O público curitibano é bastante exigente, e quando você conquista esse público com um produto de qualidade, a confiança na empresa cresce e a renda também”, explica.

Bares acrescentam rótulos ao menu

Seguindo as tendências do mercado, muitos bares e restaurantes da capital paranaense têm aderido às cervejas artesanais, principalmente pela qualidade do produto, optando por oferecer algo diferenciado apesar do preço mais alto. Antônio Cláudio Gonçalves, proprietário do bar e restaurante Brasero, aponta que no início, oferecia apenas cervejas convencionais, mas ao perceber a crescente das cervejas premium, acrescentou rótulos artesanais ao cardápio.

“Mesmo mais caras, as cervejas artesanais garantem um aumento no público e valorização do negócio, porque você passa a oferecer algo diferenciado, seu negócio cresce junto com o mercado”, aponta.

Economicamente, a cerveja artesanal é um mercado que representa uma nova alternativa de empreendedorismo, pois com o crescimento deste mercado, surgem novos bares e revendas especializados em cervejas especiais.

O economista Fábio Konrad afirma que as microcervejarias não chegam a apresentar ameaça econômica para as grandes produtoras, visto que estas já possuem tradição e um preço bastante acessível. Mesmo assim, segundo o economista, os consumidores assimilam cada vez mais a qualidade do produto artesanal, se dispondo a gastar um pouco mais com a cerveja.

Além disso, para Konrad, uma das principais vantagens da cerveja artesanal é a circulação de capital que ela proporciona, desde a produção até a venda, servindo como forma de oxigenar a economia com novas iniciativas de empreendedorismo. “O mercado artesanal está crescendo muito, os investimentos são altos e o público é cada vez maior. É uma alternativa nova para uma economia que passa por dificuldades”, afirma.

A formação de novos mestres-cervejeiros

Um dos fatores que permitem o crescimento das cervejarias artesanais é a facilidade para aprender a produzir. Iniciativas da Escola Superior de Cerveja e Malte e de cervejarias curitibanas como Bodebrown e Way Beer oferecem cursos de produção de cerveja artesanal, com módulos e durações variadas.

Rodrigo Ribeiro, dentista que em 2014 iniciou uma microcervejaria própria, ressalta a importância que os cursos tiveram para que seu negócio fosse possível. “No mercado das artesanais todo mundo se ajuda. Cervejeiros trocam informações constantemente e tudo é aplicado no curso. Fiz o curso da Escola Superior e aprendi a produzir e a administrar um negócio de cerveja, e tenho certeza que sem as aulas, meu negócio não daria certo” .

Fechado para comentários.